Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Cotidiano

Rio tem início da semana com ataque a PMs, assalto e baleados na zona norte

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O final do domingo (26) e o início desta segunda-feira (27), na zona norte do Rio, foram marcados pela violência, com ataques a policiais, operações em favelas e assaltos.

No início desta segunda (27), Policiais Militares fazem uma operação no Morro do Barbante, na Ilha do Governador, zona norte. No domingo (26), um posto da PM na favela foi depredado por cerca de 40 bandidos. Eles teriam destruído o posto em retaliação à proibição pela polícia de uma festa na favela.

Dois PMs estariam no interior do posto no momento do ataque. A PM teve que usar um helicóptero e um blindado na ação de resgate dos policiais. Não houve feridos ou prisões. Até as 11h30 desta segunda, não havia balanço da operação.

No fim do domingo (26), criminosos das favelas de Manguinhos e Jacarezinho, no bairro do Jacaré, zona norte, atacaram viaturas policiais que passavam pela avenida Dom Helder Câmara. O ataque teria ocorrido em um ponto que a via divide as duas favelas. A Dom Helder Câmara, antiga avenida Suburbana, tem 11 quilômetros de extensão e corta diversos bairros da zona norte.

A polícia perseguiu bandidos até o interior do Jacarezinho, onde houve troca de tiros. Um homem foi encontrado morto e outros dois feridos após os confrontos.

Já no Meier, por volta das 20h deste domingo, oito homens assaltaram uma unidade das Lojas Americanas, na rua Dias da Cruz. Eles foram surpreendidos pela polícia, quando deixavam loja. Houve troca de tiros e um dos assaltantes foi baleado em frente à loja e morreu no local. Os outro sete criminosos conseguiram fugir.

CRISE

O Rio enfrenta uma grave crise financeira, com cortes de serviços e atrasos de salários de servidores, e está perto de um colapso na segurança pública.

Um outro efeito dessa crise tem sido o aumento dos índices de criminalidade e a redução do número de policiais em favelas ocupadas por facções criminosas. As UPPs, base policiais em comunidades controladas pelo tráfico, perderam parte de seu efetivo.

Nos últimos meses, têm sido rotina mortos e feridos por bala perdida, além de motoristas obrigados a descer de seus carros para se proteger dos tiros.

Outro braço dessa crise é a morte de policiais. Só neste ano já foram 121 PMs assassinados no Estado. A situação de insegurança também levou o presidente Michel Temer (PMDB) autorizar o uso das Forças Armadas para fazer a segurança pública do Rio até o final do ano que vem.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Cotidiano

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber