Cotidiano

Primeira GM transgênera do Paraná já usa nome social na corporação

Da Redação ·
Valkyria é a primeira guarda municipal transgênero do Paraná  - Foto: Reprodução/Banda B
Valkyria é a primeira guarda municipal transgênero do Paraná - Foto: Reprodução/Banda B

A primeira guarda municipal transgênera do Paraná realizou o sonho de usar o nome social dentro da corporação. Valkyria Menna, 43 anos, trabalha em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Ela já foi casada com uma mulher, teve dois filhos, porém diz que nunca se identificou como homem.

continua após publicidade

Valkyria ingressou na GM em 2005, mas foi no ano passado que ela decidiu reivindicar ao superiores o direito de usar o nome social. Ela conta que ficou surpresa com a boa aceitação.

“Eles me respeitam, alguns já conseguem me tratar pelo nome, outros falam da dificuldade pelo tempo que me conhecem e pelo costume, e eu respeito isso deles, também. Pensei que seria bem pior por ser uma profissão que tem um certo preconceito contra mulheres, mas isso vai ser vencido aos poucos. Me surpreendi porque fui bem aceita”, descreveu em entrevista à Banda B.

continua após publicidade

A GM afirma ainda que não teve problemas durante o processo, que passou por análise em diferentes setores. Agora Valkyria sente-se vitoriosa por finalmente poder ser identificada como mulher. 

“Poder ser quem realmente eu sou e fazer isso tirou um peso das minhas costas. Posso me maquiar, agindo da minha maneira. É algo maravilhoso, mas ainda falta muita coisa, precisamos de leis que garantam uma comprovação do que somos. É um caminho longo, mas vamos avançar cada vez mais. Me surpreendi positivamente com a Guarda daqui”, disse a GM, que agora pretende pedir a mudança do nome em seus documentos. 

O que é transgênero?
Transgênero (trans) é o indivíduo que se identifica com um gênero diferente daquele que corresponde ao seu sexo atribuído no momento do nascimento. A transgeneridade não é uma doença ou distúrbio psicológico. Não existe uma causa comprovada para essa inadequação. O que se sabe é que, durante a gestação, a identidade feminina ou masculina é formada no cérebro do bebê depois do desenvolvimento dos órgãos sexuais. No caso dos transgêneros, existe uma hipótese científica de que essa identidade não esteja em sintonia com o órgão sexual.