Cotidiano

Astrônomos descobrem planeta gigante cuja existência contradiz teorias existentes

Da Redação ·
Impressão artística do nascer do sol no planeta NGTS-1B CRÉDITO: UNIVERSITY OF WARWICK / MARK GARLICK
Impressão artística do nascer do sol no planeta NGTS-1B CRÉDITO: UNIVERSITY OF WARWICK / MARK GARLICK

Astrônomos descobriram recentemente um planeta gigante, cuja existência era considerada improvável por cientistas. O corpo celeeste gasoso, chamado NGTS-1b, está situado na constelação de Pomba, a 600 anos-luz da Terra, tendo um tamanho quase igual ao de Júpiter. Pesa 20% menos do que Júpiter e sua temperatura superficial atinge 530 °C. Um ano neste planeta equivale a 2,6 dias terrestres, enquanto sua distância do seu sol representa 3% da distância entre o Sol e a Terra.

continua após publicidade

De acordo com cálculos científicos, este planeta é apenas duas vezes menor do que o Sol, ao redor do qual gira. Desta forma, este é o maior planeta conhecido no universo com esses parâmetros.

"A descoberta do NGTS-1b foi uma grande surpresa para nós, pois não pensávamos que encontraríamos um planeta tão grande perto de uma estrela tão pequena. Isso põe em dúvida o que sabemos sobre a formação de planetas", afirmou o pesquisador Daniel Bayliss, da Universidade de Warwick (Reino Unido), citado pelo portal científico EurekAlert.

continua após publicidade

Teorias descartadas
A existência do NGTS-1b descarta teorias que afirmam que estrelas relativamente pequenas formam ao seu redor astros sólidos e não gigantes planetas gasosos por não ter material suficiente para tal.