Mais lidas
Cotidiano

Mulher envenena marido e mata outros 12 por engano após ser forçada a se casar

.

Casamentos forçados são comuns no Paquistão, país muito conservador Foto: AFP
Casamentos forçados são comuns no Paquistão, país muito conservador Foto: AFP

Uma paquistanesa foi presa sob a acusação de matar 13 pessoas com leite envenenado, que ela havia preparado para matar o marido, após ser obrigada a se casar com ele. O chefe da polícia local, Owais Ahmad, relatou que Asiya Bibi admitiu ter colocado o veneno em um copo de leite, imaginando que só o companheiro beberia.

A moça, no entanto, não esperava que o marido fosse despejar o leite em uma jarra de lassi, popular bebida do Sul da Ásia à base de iogurte. Vinte e sete pessoas se serviram do líquido e 13 morreram após bebê-lo, incluindo o marido de Asiya.

Lassi, popular bebida no Paquistão, estava envenenada
Foto: NARINDER NANU / AF

Os quatorze sobreviventes foram hospitalizados, conforme Ahmad. Asiya havia se casado, contra a sua vontade, em setembro, na localidade de Valvati, província de Punjab.

"A polícia prendeu Asiya Bibi, um homem e sua tia, por cumplicidade, e os acusou de assassinato", detalhou o chefe de polícia. De acordo com Ahmad, o homem detido seria amante de Asiya e a tia seria o cérebro do assassinato.

Casamentos forçados e homicídios em defesa da honra são comuns
Os casamentos forçados, em particular de menores de idade, são comuns no Paquistão, principalmente nas províncias pobres e rurais do país, nas quais muitas mulheres ainda são vítimas a cada ano de assassinatos supostamente em defesa da honra.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber