Mais lidas
Cotidiano

Bush pai, 93, é acusado de "apalpar traseiros" por duas mulheres

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Duas mulheres acusaram o ex-presidente americano George Bush, 93, de terem apalpado seus traseiros durante sessões de fotos em 2014 e 2016, reportou o jornal britânico "The Guardian" nesta quinta-feira (26).

Bush foi presidente dos Estados Unidos de 1989 a 1993 e também é conhecido por ser pai de George W. Bush, que governou o país de 2001 a 2009.

A atriz Heather Lind afirmou que o ex-presidente apapalpou seu traseiro em um evento de promoção da série "Turn: Washington Spies" do canal de TV a cabo americano AMC em 2014.

A declaração foi feita em uma rede social depois que Lind viu uma foto de Bush cumprimentando Barack Obama em um evento beneficente para vítimas dos furacões que atingiram os Estados Unidos neste ano. Lind apagou a publicação algum tempo depois.

"Quando tive a oportunidade de conhecer George H. W. Bush há quatro anos atrás para promover um programa de TV no qual eu trabalhava, ele me assediou sexualmente enquanto eu posava para uma foto parecida", contou a atriz. À época, Bush tinha 89 anos.

"Ele não apertou a minha mão. Sentado na sua cadeira de rodas, ele apalpou o meu traseiro com sua esposa em pé ao seu lado", contou. Ela escreveu que o ex-presidente teria contado uma piada de baixo calão, e, enquanto o grupo era fotografado, tocou nela novamente.

Segundo Lind, Barbara Bush, ex-primeira-dama e esposa do ex-presidente, reagiu com desdém, como se dissesse "de novo, não".

O relato da atriz foi confirmado por seus colegas de elenco através de posts em suas redes sociais.

Em um comunicado ao jornal "New York Daily News" feito na terça-feira (24), Jim McGrath, porta-voz, declarou que "Bush jamais -em nenhuma circunstância- intencionalmente causaria sofrimento a alguém, e ele gostaria de sinceramente se desculpar se sua tentativa de ser engraçado ofendeu a Srta. Lind".

Lind incluiu a hashtag "Me Too" em sua publicação. Ela tem sido usada por mulheres de todo o mundo para denunciar casos de assédio e abuso sexual nas redes sociais depois que o caso do produtor americano Harvey Weinstein veio à tona.

Depois da denúncia de Lind, uma segunda atriz veio a público com um relato similar de assédio por parte de George H. W. Bush.

Jordana Grolnick trabalhou em 2016 na peça de teatro "O Corcunda de Notre Dame" e fez uma apresentação em Maine, na costa leste dos Estados Unidos. Bush, à época com 92 anos, teria ido ao camarim durante o intervalo e apalpado seu traseiro enquanto posavam para uma foto junto com sua esposa.

"Ele esticou o seu braço direito pelo meu traseiro. Enquanto todos sorríamos para a foto, ele fez uma piada e me apertou mais forte", disse Grolnick.

Segundo a atriz, os demais presentes "riram desconfortavelmente por educação", enquanto a ex-primeira-dama "disse algo como: 'ele vai acabar na cadeia desse jeito!', e todos rimos mais um pouco".

McGrath emitiu um novo comunicado nesta quinta no qual afirmou que o comportamento do ex-presidente era uma tentativa de diminuir o constrangimento causado por sua doença durante sessões de fotos.

Acometido pelo mal de Parkinson, Bush utiliza uma cadeira de rodas há cinco anos para se locomover, o que faz com que "seu braço fique na altura da cintura das pessoas com quem ele tira fotos", disse.

"Para tentar deixar as pessoas confortáveis, o presidente usa rotineiramente a mesma piada -e, em algumas ocasiões, ele tocou nos traseiros de algumas mulheres como um gesto bem-intencionado. Algumas acharam inocente, enquanto outras claramente consideraram o gesto inapropriado", afirmou o comunicado, que novamente incluiu um pedido de desculpas do ex-presidente.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber