Mais lidas
Cotidiano

Novas unidades melhoram atendimento em assistência social

.

Espaços de interação, com acesso a serviços básicos de proteção social, os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) permitem atendimento para toda a família. O Governo do Estado, através da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, entregou recentemente mais duas unidades no Sudoeste do Paraná. Em todo o Estado, desde 2011, foram entregues 50 unidades, com investimento de R$ 13 milhões.

Os Cras instalados no fim do ano passado em Barracão e Bom Jesus do Sul têm capacidade para atender 2,5 mil pessoas e revolucionaram a atenção às pessoas em vulnerabilidade social. O investimento para construir as unidades foi de R$ 919,3 mil. A construção, com nova arquitetura, permite maior funcionalidade e privacidade no atendimento às famílias.

Os dois municípios estão entre os 14 da região com até 20 mil habitantes que recebem do governo estadual o Piso Paranaense de Assistência Social, de R$ 6,25 mil mensais, para aprimorar as ações de assistência social nas áreas de proteção social básica e especial; aprimoramento da gestão e benefícios eventuais. Juntas, essas cidades já acessaram R$ 162,5 mil desse recurso. Em todo o Paraná, 171 municípios receberam R$ 74,4 milhões para a mesma aplicação.

BARRACÃO - No município de Barracão, o Cras está em local próximo a uma região de alta vulnerabilidade social, o que facilita o acesso das famílias que precisam de atendimento.

“A estrutura está adequada. Por mês, são realizados 150 atendimentos, juntamente com visitas domiciliares. No Cras também são promovidos os serviços de convivência e fortalecimento de vínculos, como oficinas de dança, hip-hop, jazz, ballet, atividades lúdicas, aulas de violão e de informática”, destaca a chefe do escritório regional de Francisco Beltrão, Atanazia Pedron.O coordenador do Cras de Barracão, Carlos Gesner Alves, explica que a nova estrutura deu visibilidade ao local e o Cras se tornou uma ferramenta bastante eficiente para acolher as pessoas. Antes, o espaço usado pela unidade era atrás do prédio da prefeitura.

“Muitas pessoas nem sabiam que ali existia um Cras. Estamos nos tornando referência em termos de assistência social. Melhoramos muito o atendimento. O fato de se ter estrutura aconchegante já traz resultados positivos”, explica o coordenador.

Cerca de 214 pessoas participam dos serviços de convivência e fortalecimento de vínculos, entre crianças e pessoas idosas. Carlos destaca também que uma das oficinas mais procuradas e que tem atraído os jovens é a de hip-hop, com a participação de aproximadamente 60 adolescentes.

BOM JESUS DO SUL
No Cras de Bom Jesus do Sul a demanda de atendimento aumentou. Hoje, o local trabalha com cinco grupos do serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif), com média aproximada de 30 pessoas por grupo. Durante as reuniões os participantes recebem orientações sobre cuidados pessoais, qualidade de vida e alimentação saudável, por exemplo. Por mês, são cerca de 250 atendimentos.

“Os equipamentos utilizados para desenvolver as atividades também foram adquiridos com recursos do Estado. Com a boa administração dos recursos foi possível equipar o Cras”, explica Atanazia.

A coordenadora do Cras, Carina Donini Ruppel, explica que as pessoas que mais procuram o atendimento são aquelas que desejam fazer o cadastro em programas sociais ou que estão em situação de vulnerabilidade. “Conseguimos centralizar o atendimento e aproximar mais a população do Cras”, explica Carina.

O local também desenvolve os serviços de convivência e fortalecimento de vínculos, que oferecem oficinas de coral, informática, academia e tear. Para as crianças são oferecidas pintura em tela, artesanato, escolinhas de futebol e outras atividades esportivas.

INVESTIMENTOS
Para saber mais sobre os investimentos que o Estado do Paraná já fez em cada regional e município, acesse  AQUI o Mapa de Investimentos, disponível no site da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber