Mais lidas
Cotidiano

Governo estadual quer vacinar 1 milhão contra febre amarela em SP

.

MARIANA ZYLBERKAN

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Estadual de Saúde quer vacinar contra a febre amarela um milhão de pessoas que vivem no entorno nos parques da Cantareira e Horto Florestal, na zona norte da capital. Um macaco encontrado morto no Horto Florestal teve comprovada a presença do vírus, nesta sexta-feira (20). Os dois parques estão fechados.

Cerca de 4 mil pessoas foram vacinadas contra a doença neste sábado (21) em mutirão organizado pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com o Estado. O posto avançado instalado em uma associação de bairro e duas UBS (Unidade Básica de Saúde), onde as doses foram distribuídas, tiveram filas.

O secretario estadual de Saúde, David Uip, disse à reportagem neste domingo (22) que a quantidade de doses disponível da vacina será conhecida pela pasta nesta segunda-feira (23). Não foi definido prazo para a aplicação de todas as doses.

Nesta segunda, o secretário irá se reunir com a Secretaria do Meio Ambiente para definir diretrizes de prevenção da doença. Entre elas, está prevista a mobilização de agentes da Vigilância Sanitária para percorrer as matas em busca de mais macacos infectados. Serão intensificadas ações para impedir a proliferação do mosquito Haemagogus, que dissemina a doença em áreas florestais, e do aedes aegypti, que tem a mesma função em locais urbanos. "Estamos atentos a esse tema há dois anos e quatro meses desde quando percebemos o aumento do número de macacos infectados no Estado", diz Uip.

Apesar de não disseminar a doença aos humanos, os macacos são os principais hospedeiros do vírus da febre amarela. Mobilização parecida foi necessária em Campinas, no interior de São Paulo, neste ano depois que 14 macacos morreram em virtude da doença.

A vacina é contraindicada para gestantes, mulheres em fase de amamentação e pessoas que estejam em tratamento de quimioterapia, radioterapia ou com tomando corticoides em doses elevadas.

SURTO

Neste ano, houve 22 casos e 10 mortes por febre amarela silvestre no Estado de São Paulo. O surto que atingiu o país neste ano foi o maior com número de casos em humanos desde 1980. Entre dezembro e junho, foram confirmados 777 casos e 261 mortes por febre amarela no país.

O surto também deixou um recorde de macacos doentes e mortos. Os principais Estados atingidos foram Minas Gerais e Espírito Santo. O número

de casos fez com que o governo federal anunciasse a ampliação na vacinação contra a doença.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber