Mais lidas
Cotidiano

Temporal com ventos de 108 km/h e granizo provoca destruição no Paraná

.

Ventos fortes na região sudoeste do Paraná também placas de trânsito - Foto: Divulgação/PRF
Ventos fortes na região sudoeste do Paraná também placas de trânsito - Foto: Divulgação/PRF

Um temporal com raios, chuva forte, granizo e ventos de até 100 km/h na noite de domingo (1) e madrugada desta segunda-feira (2) provocou destelhamentos de moradias, derrubou árvores, placas de sinalização e até a tenda de um circo pouco antes do espetáculo em Pato Branco (região sudoeste), deixando pelo menos cinco pessoas feridas no Paraná. 


Na região Sudoeste a ventania resultou em destelhamentos e quedas de árvores. Nas cidades de Dois Vizinhos, Pérola do Oeste e Verê foi registrada chuva de granizo no domingo (1º).

Em Francisco Beltrão, também no sudoeste do estado, a cobertura da Apae ficou destruída após a passagem do temporal. Segundo a Defesa Civil do município, os estragos ainda estão sendo contabilizados. 

Em Planalto, moradores ficaram sem energia elétrica e também internet até a madrugada de segunda-feira (02). Quedas de árvore e destelhamentos também foram registrados no município.

Em Capanema também houve queda de energia. Durante a noite de domingo (01) cinco atendimentos foram feitos pela Defesa Civil. 

Maringá
Pelo menos 23 árvores caíram entre a noite de domingo (1º) e a madrugada desta segunda-feira (2), em Maringá, no norte do Paraná. De acordo com balanço da Defesa Civil divulgado nesta manhã, oito árvores arrancaram fios elétricos, três derrubaram postes e três causaram estragos em casas e muros de residências. Ninguém ficou ferido.

Curitiba
No começo da manhã desta segunda-feira (2), a Companhia Paranaense de Energia (Copel) contabilizava 10 mil imóveis sem energia elétrica em Curitiba e várias quedas de árvores. Embora ainda não houvesse detalhes de onde se concentravam as interrupções, há registros de falta de energia no Água Verde, Uberaba e Guabirotuba. 

Ventos derrubaram árvore de grande porte na Avenida Getúlio Vargas,
em Curitiba - Foto - Aniele Nascimento/Gazeta do Povo


Os desligamentos foram causados, principalmente, por causa do vento. Por isso, como continua ventando na cidade, a companhia não descarta a possibilidade de novas quedas de energia ao longo da manhã.

Além disso, conforme a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), por volta das 8h30, a Rua Padre Germano Meyer estava com dois semáforos apagados nas esquinas com as ruas Itupava e Professor Brandão.O semáforo da Rua Anne Frank com a Rua Roberto Hauer também foi desligado com a chuva.No mesmo horário, o trânsito estava totalmente fechado, no cruzamento da Rua Ulisses Vieira com a Guaianazes, na Vila Izabel. Galhos de árvores estão caídos na pista.

Ventos  de 108 km/h
De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, as rajadas de ventos variaram entra 60 km/h e 80 km/h no Sudoeste. O recorde foi registrado na noite de domingo em Planalto, onde os ventos chegaram a 108 km/h.  A região norte paranaense também teve ventanias. O Simepar identificou ventos acima dos 75 km/h em Cambará. Na região de Curitiba, a velocidade dos ventos alcançou 58 km/h na Lapa.

Possibilidade de granizo
Meteorologistas do Simepar acrescentaram que nesta segunda-feira as nuvens de tempestade avançam pelo Estado e o rápido deslocamento do sistema frontal provoca rajadas de vento forte nas diversas regiões. Não está descartada a possibilidade de queda de granizo durante o dia, mais especificamente na região Oeste.

Frio
As temperaturas devem ficar mais amenas no estado por conta do avan~çoo de uma frente fria. Em Curitiba, os termômetros ficarão entre 14°C e 19°C nesta segunda-feira. Já na quarta-feira, a mínima será de 8°C, a temperatura mais baixa dos últimos 30 dias. A partir de quinta-feira, as temperaturas voltam a se estabilizar, ficando entre 10° e 27° na capital.

O pior já passou
De acordo com o Simepar, o pior da chuva já passou - por isso, as chances de novos estragos ficam reduzidas. Nesta segunda-feira, a previsão é de que continue chovendo em todo o estado, mas que o tempo instável predomine sem rajadas de ventos ou pancadas muito fortes.

Mais chuva e nebulosidade
“A gente vai ter mais chuva hoje. Apesar de o eixo dessa instabilidade já estar avançando para São Paulo, ainda tem muita nebulosidade para passar por aqui”, afirmou o meteorologista Samuel Braun, do Simepar.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber