Mais lidas
Cotidiano

Rússia testa míssil enquanto Putin aumenta a ameça de uma 3ª Guerra Mundial

.

O teste balístico foi tão bem sucedido que já há programação de outros. (Foto: Express)
O teste balístico foi tão bem sucedido que já há programação de outros. (Foto: Express)

A Rússia disparou com sucesso um míssil balístico intercontinental, disse o Ministério de Defesa de Moscou. O Topol RS-12M atingiu o alvo em uma escala no Cazaquistão, enquanto as tensões com o déspota Kim Jong-un da Coreia do Norte estão cada vez mais efervescentes.

O teste chamado de 'warhead' (cabeça de guerra) ocorreu na gama Kapustin Yar na região austral de Astrakhan, Cazaquistão. Poderia ser um tiro de advertência para Kim Jong-un, uma vez que o teste vem apenas um dia depois que seus capangas acusaram o presidente Donald Trump de declarar a guerra na Coréia do Norte.

Funcionários disseram que os dados do teste seriam usados para desenvolver meios prospectivos de violar defensas de mísseis "inimigos" para uso em mísseis balísticos russos. Ainda existe a confirmação de que Putin testará o equipamento de combate avançado dos mísseis russos.

Um porta-voz disse: "Uma união de combate do teste de forças estratégicas russas de mísseis lançou um míssil balístico intercontinental Topol RS-12M da faixa central do estado Kapustin Yar na região de Astrakhan. O objetivo do lançamento foi testar ogivas avançadas de mísseis balísticos".

De acordo com o ministério russo, os dados sobre o lançamento do Topol serão utilizados para desenvolver ajudas avançadas de penetração de defesa antimíssil. O teste do infame míssil termonuclear Satan 2 poderia ser realizado em outubro, de acordo com a agência de notícias TASS.

RÚSSIA AINDA DEFINIRÁ SEUS ALIADOS

O presidente russo ainda está estudando suas possibilidades. (Foto: Getty)

As tensões aumentam, pois o teste está sendo realizado bem quando o mundo se amedronta diante da possibilidade de uma 3ª Guerra Mundial, em meio a repulsas entre a Coréia do Norte e os EUA.

O principal funcionário das relações internacionais dos EUA viajou sozinho para visitar a Rússia para difundir as tensões no cenário mundial na semana passada. Ao mesmo tempo que um oficial norte-coreano reuniu-se com Alexander Matsegora, o mais alto representante da Rússia para Pyongyang, onde os dois discutiram o estado da península do país.

Agora, ao que tudo indica após o sucesso do teste e com a acenação positiva para um novo e mais poderoso míssil estar em andamento, a Rússia enfim parece estar pronta para chamar seus aliados para mais conversas após meses de provocações entre Trump e Jong-Un.


×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber