Mais lidas
Cotidiano

Empresário torturou ex com faca e machado antes de matá-la, diz a polícia

.

Antônio Carlos é o principal suspeito de matar Andreia. Foto: Djalma Malaquias – Banda B
Antônio Carlos é o principal suspeito de matar Andreia. Foto: Djalma Malaquias – Banda B

A Polícia Civil divulgou detalhes de um crime brutal registrado no ano passado em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. O principal suspeito é um empresário de 51 anos que segundo a investigação matou a ex-esposa Andreia Ribeiro Moraes, 33 anos. Antônio Carlos Simioni foi preso na semana passada. 

Conforme a polícia, o empresário tornou-se suspeito após denúncia anônima apontar o envolvimento dele no assassinato. O último local onde a vítima foi vista antes de morrer foi na lanchonete de Simioni. 

A polícia foi até o local e com uso de luminol conseguiu identificar manchas de sangue de Andreia. Antes de ser morta por asfixia, ela foi torturada com cortes feitos por faca e machado no seio, nas orelhas e nos pés, segundo a polícia. 

Andreia tinha medo de denunciar o marido. Foto: Arquivo pessoal

Testemunhas também informaram que durante o relacionamento a vítima foi agredida várias vezes. Contudo, ela não denunciou o então marido por medo, intensificado pelo fato de que Simioni foi condenado por homicídio. 

Crime

Andreia foi assassinada em 28 de dezembro do ano passado. No dia do crime, Antônio marcou um encontro dizendo que precisava entregar um valor referente à pensão do filho do casal de 10 anos. O corpo dela foi jogado em um rio em Bocaiúva do Sul.

Segundo a investigação, após o crime, Antônio teria matado um porco e colocado no porta-malas do carro que usou para desovar o corpo da vítima, para tentar confundir a investigação da polícia. No entanto, exames de DNA, confirmaram que o sangue na lanchonete e no veículo eram de Andreia. 

Para a polícia, o empresário cometeu o crime por não aceitar o fim do relacionamento. 

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber