Cotidiano

Astrofísico indica o risco mais provável de extinção da humanidade 

Da Redação ·
Cientista aponta inteligência artificial como o risco mais provável de extinção da humanidade - Foto: Ciberia
Cientista aponta inteligência artificial como o risco mais provável de extinção da humanidade - Foto: Ciberia

Em entrevista concedida ao portal IEEE Spectrum o cientista sueco Max Tegmark do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA), apontou o que considera o cenário negativo mais provável do futuro da civilização humana. Tegmark explicou como o atual desenvolvimento da inteligência artificial pode levar à criação de uma superinteligência acima do padrão humano e previu as consequências desse avanço tecnológico.

continua após publicidade

Em seu livro intitulado "Vida 3.0: o Homem na Era da Inteligência Artificial" Tegmark prevê que, no pior cenário, a humanidade pode ser extinta e substituída por essa superinteligência artificial, que não terá consciência. "Se todas as maravilhas do cosmos continuarem sem uma mente consciente para apreciá-las, o universo se tornará um desperdício de espaço sem sentido", avalia o astrofísico.

Tegmark enfatizou que precisamos estar atentos no sentido de que o futuro da humanidade está diretamente ligado à inteligência artificial. "O fato de que não sabemos o que vai correr mal não significa que não devamos pensar sobre isso", frisa o cientista sueco.

continua após publicidade

Rumos do desenvolvimento da inteligência artificial
A mesma opinião Max Tegmark é comungagad pelo renomado astrofísico britânico Stephen Hawking e pelo diretor-executivo da SpaceX, Elon Musk. Segundo eles, a comunidade científica internacional e humanidade em geral devem ficar bem atentas aos rumos do desenvolvimento da inteligência artificial para que não haja desvirtuamento da tecnologia.