Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

800 pessoas já foram picadas por escorpiões em 2017 no Paraná, diz Saúde Pública

Loading...

RISCO PEÇONHENTO

800 pessoas já foram picadas por escorpiões em 2017 no Paraná, diz Saúde Pública

Menino de 4 anos morreu após ser picado por escorpião no Paraná - Foto: Pixabay/imagem ilustrativa

O aumento nos últimos dias dos casos de pessoas picadas por escorpiões no Paraná deixou as autoridades da área de saúde pública em estado de alerta. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), nos oito primeiros meses de 2017 foram registrados 800 casos de picadas por escorpiões no Paraná, a maioria crianças. As regionais de saúde de Maringá (168), no norte do Paraná, Paranavaí (107), no noroeste do Estado, e Ponta Grossa (90), na região dos Campos Gerais, foram as que mais registraram casos desa natureza.

Já prefeitura de Jussara, na região noroeste do Paraná, confirmou nesta quarta-feira (13) que o município enfrenta uma epidemia de escorpiões. Segundo a Sesa, a cidade está entre as quatro do Estado com o maior índice de picadas por escorpião neste ano.

Menino de 4 anos morreu
Um menino de quatro anos residente na cidade, que levou uma picada enquanto dormia, morreu em agosto deste ano. E uma menina de dois anos foi internada após ser picada, mas se recuperou. De janeiro a agosto de 2017, foram registrados 27 casos de pessoas picadas por escorpiões em Jussara.

Casos mais recentes
Os casos mais recentes de pessoas picadas por escorpiões no Paraná foram registrados na terça-feira (12) à noite. Uma criança de 3 anos foi picada por um escorpião preto em Maringá (norte do Estado). 

O caso foi registrado na casa em que a vítima mora, em uma chácara no Jardim Ouro Verde. Após ser picada no pé, a vítima foi socorrida e encaminhada ao Hospital Universitário. Foram feitos exames e a criança já recebeu alta médica.

Em Umuarama (região noroeste do Paraná), uma criança de 5 anos, foi picada quando estava no sofá de sua casa, no Parque Dom Pedro. ele foi encaminhado ao um hospital de plantão e passa bem.

Calor favorece procriação
Com a elevação da temperatura, a presença de animais peçonhentos, como os escorpiões, aumenta dentro das residências. Isso porque quanto mais quente, maior é a quantidade de insetos nas casas, que são os alimentos desses animais. 

O escorpião é normalmente encontrado embaixo de telhas, nos entulhos de quintal, dentro de tijolos, de madeiras e restos de construção. Também se escondem dentro de fossas e caixas de gorduras sujas. Eles entram nas casas através de frestas, por baixo da porta e pelo pano de limpeza que fica jogado no chão depois de usado, porque é seguro, úmido e escuro.  

Ele pode subir pelo ralo, porque consegue se locomover pelas paredes, e também pelas janelas abertas. A chefe da Divisão de Zoonoses e Intoxicações da Sesa, Gicelia Rubia, adverte que a picada do escorpião é muito perigosa e que é preciso ter um atendimento rápido e eficaz quando isso acontece.

Espécies predominantes
Gicelia explicou ainda que no Paraná predominam duas espécies: o escorpião amarelo e outro de cor marrom clara, com um desenho de um triângulo no corpo. Essa espécie veio do Nordeste do Brasil e é encontrada em um bairro de Curitiba e em Umuarama, na região Noroeste do Estado. 

Segundo a chefe da Divisão de Zoonoses, é importante saber qual a espécie para descobrir o tratamento ideal à vítima. A recomendação é para não apertar, não chupar e não amarrar o local da picada, porque isso não vai ajudar no tratamento e buscar ajuda média com a maior urgência.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias