Cotidiano

Uma vida dedicada aos motores

Da Redação ·
Veículos das décadas de 20 e 30 se destacam na oficina de Edson: paixão começou aos 14 anos | Foto: Sérgio Rodrigo
Veículos das décadas de 20 e 30 se destacam na oficina de Edson: paixão começou aos 14 anos | Foto: Sérgio Rodrigo

Aos 80 anos, Edson Paulo Mônaco mantém uma rotina do ofício que realiza há mais de seis décadas. Todos os dias ele vai até a sua oficina mecânica para trabalhar nos carros, uma rotina que se iniciou aos 14 anos no interior de São Paulo. Vivendo em Apucarana desde 1960, Edson se especializou em restauração de veículos antigos, principalmente do início do século passado.

continua após publicidade

Nascido em Barretos, interior de São Paulo, ele foi criado em Bebedouro, também no estado paulista. Foi nesta cidade que ele teve o primeiro contato com a mecânica. 

“Comecei a trabalhar em carros aos 14 anos, quando desmontei por completo o veículo do meu pai. Desde então, não parei mais”, conta.No entanto, o ofício cobrou rapidamente o seu preço. Em uma época onde a regulamentação dos produtos ainda era precária, Edson ficou doente. “Quando tinha cerca de 20 anos, eu trabalhava com pintura automotiva. Por causa dela, fui ficando doente. Até que chegou um ponto em que o médico falou que, se eu não parasse de pintar carro, morreria”, conta.

continua após publicidade

Para se curar, ele resolveu tirar um tempo de folga na fazenda de um tio. A propriedade rural ficava em Apucarana. “Era 1960 e eu tinha 24 anos. Vim para cá para passear e descansar um pouco, mas não consegui ficar longe dos carros. Logo que cheguei, desmontei por completo o carro do meu tio. Me lembro dele não ter gostado muito”, diverte-se ele ao recordar o ocorrido.Logo no primeiro mês no norte paranaense, Edson já conseguiu um emprego. 

Uma vida dedicada aos motores fonte: Reprodução

“A Paranamotor, concessionária da Volkswagen, havia acabado de se instalar e não tinha um mecânico. Eu era acostumado a trabalhar com motores V8 enormes, então fiquei de ajudá-los por um período com aqueles motores pequenos do Fusca, a grande novidade daquela época. Mas eles gostaram tanto do trabalho que eu acabei ficando. Fui para São Bernardo do Campo para fazer um curso na fábrica da Volkswagen e aproveitei para avisar meu pai que ficaria em Apucarana em definitivo”.

Edson ainda retornou para Bebedouro mais uma vez: para se casar com a então namorada e então trazê-la para o Paraná. Depois disso, foram 20 anos trabalhando na Paranamotor, quando ele se desligou da empresa e montou a própria oficina mecânica. 

continua após publicidade

“Nunca deixei minha paixão por carros antigos. Mesmo nos tempos de Paranamotor eu restaurava alguns veículos. Mas depois que saí de lá, pude me dedicar ainda mais”, conta ele.

Trinta e sete anos depois, ele continua na mesma oficina, onde criou seus quatro filhos. Veículos das décadas de 20 e 30 se destacam no local - atualmente ele está trabalhando com um Ford 1929 e um Ford 1932 -, duas verdadeiras relíquias.Sempre impecável, Edson sempre trabalha de calça social, camisa e sapato, onde não se vê um único pingo de graxa ou qualquer outro fluído mecânico. E ele não apenas restaura os veículos, como não há mais reposição, ele também fabrica algumas das peças necessárias em um trabalho praticamente artesanal.O trabalho preciso e minucioso fez com que pessoas de todo o Paraná e também de outros estados levassem seus veículos para que Edson os restaurasse. Porém, há alguns anos, três empresários de Maringá o contrataram com exclusividade. 

“Hoje, só trabalho para esse grupo, não restauro para mais ninguém. O que me mantém trabalhando é o amor por esta profissão. Enquanto eu puder, continuarei mexendo nos carros”, diz.

Uma vida dedicada aos motores fonte: Reprodução