Mais lidas
Cotidiano

Sesp divulga esquema de segurança com mais de 1000 policiais para novo depoimento de Lula

.

Várias forças de segurança foram escaladas para atuar no esquema para o segundo depoimento do ex-presidente Lula - Foto: Divulgação/Sesp
Várias forças de segurança foram escaladas para atuar no esquema para o segundo depoimento do ex-presidente Lula - Foto: Divulgação/Sesp

Várias forças de segurança foram escaladas para atuar no esquema definido para o segundo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Justiça Federal em Curitiba, na próxima quarta-feira (13). Cerca de mil policiais militares integram o efetivo, que contará ainda com representantes da Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep), Guarda Municipal, Polícias Rodoviária Estadual e Federal, Polícia Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), entre outras.

A estratégia será semelhante à adotada no primeiro encontro de Lula com o juiz da 13º Vara Federal Sérgio Moro em maio deste ano, mas em uma dimensão reduzida, com menos efetivo empregado. “Esquema muito parecido, porém um pouco menor. Considerando informações repassadas a nós, virão menos pessoas”, explicou o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp), Wagner Mesquita, ao comparar os dois eventos. 

Apoiadores
Sobre os apoiadores do ex-presidente Lula, o secretário explicou que eles vão se concentrar na praça Generoso Marques, no Centro de Curitiba. Enquanto que os pró-Lava Jato ficarão nas proximidades do Museu Oscar Niemeyer, no bairro Centro Cívico. “A nossa intenção é que não haja qualquer contato entre estes dois grupos, assim como aconteceu no primeiro depoimento do ex-presidente”, disse Mesquita. 

No primeiro depoimento a informação inicial era do deslocamento de mais de cerca de 60 mil pessoas, o que acabou não se confirmando. Desta vez são esperados cerca de 5.000 mil manifestantes e a chegada de 50 ônibus. Os veículos serão estacionados próximos ao Estádio do Paraná Clube, para não atrapalhar o trânsito e facilitar o deslocamento dos manifestantes – que serão escoltados pela Polícia Militar. 

Acesso a Curitiba
O trabalho policial começa no acesso à capital paranaense. “Não abrimos mão da fiscalização nas estradas. Pedimos para que os ônibus venham com a documentação em dia e em bom estado e que as pessoas não tragam nenhum material que não seja condizente com uma manifestação democrática. Da outra vez nós apreendemos foices e facas”, ressaltou o secretário. 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até à tarde desta segunda-feira, apenas um ônibus havia pedido autorização para a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) para se deslocar da cidade de Teresina para Curitiba. As definições sobre o esquema de segurança na próxima quarta-feira foram anunciadas por Mesquita após uma reunião na tarde desta segunda-feira (11), na sede da Secretaria da Segurança Pública do Paraná, envolvendo representantes das diversas esferas envolvidas.

“Nosso objetivo é garantir uma manifestação tranquila de qualquer grupo da sociedade e um ato de justiça federal sem qualquer constrangimento”, acrescentou Mesquita.

Bloqueio
O bloqueio da região da Justiça Federal, no bairro Ahú, terá início às 6 horas com agentes de trânsito e policiais para fazerem o desvio e um segundo bloqueio começará às 12 horas, mais próximo ao edifício da Justiça Federal no qual ninguém terá acesso sem credenciamento. 

As informações são da Sesp

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber