Cotidiano

Procuradoria acusa inventor de submarino de homicídio após morte de jornalista

Da Redação ·
Foto divulgada pela família de Kim Wall, jornalista morta em submarino na Dinamarca - Foto: Tom Wall / Handout
Foto divulgada pela família de Kim Wall, jornalista morta em submarino na Dinamarca - Foto: Tom Wall / Handout

O caso da morte da jornalista sueca Kim Hall a bordo de um submarino concebido e construído pelo inventor dinamarquês Peter Madsen, 'navega em águas turvas', de acordo com o portal Euronews.

continua após publicidade

Madsen argumentou em audiências iniciais que a morte da jornalista foi acidental. Segundo ele, Hall morreu em razão da queda de uma escotilha do submarino na cabeça dela, mas o inventor não soube explicar porque o corpo foi encontrado no mar decepado, decapitado e com pesos para ir ao fundo.

Por conta das contradições, a Procuradoria da Dinamarca pediu que seja mantida a acusação de homicídio voluntário e não de homicídio por negligência.

continua após publicidade

Após desaparecimento da jornalista, Peter Madsen tinha afirmado preliminarmente que a deixou em terra firme e só depois da descoberta do corpo admitiu que Hall tinha morrido a bordo submarino e que ele havia jogado o corpo no mar.