Cotidiano

IAP constata que incêndio durante pesquisa no Parque de Vila Velha destruiu 132 hectares de vegetação

Da Redação ·
O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que administra o parque, informou incêndio foi iniciado por um grupo de pesquisadores da UFPR - Foto: Divulgação/IAP
O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que administra o parque, informou incêndio foi iniciado por um grupo de pesquisadores da UFPR - Foto: Divulgação/IAP

incêndio ambiental no Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, destruiu 132 hectares de vegetação, de acordo com levantamento do Instituto Ambiental do Paraná (IAP). A área, conforme técnicos do órgão, é equivalente a 132 campos de futebol. Já a Polícia Ambiental contabilizou 145 hectares.

continua após publicidade

O IAP apurou que o incêndio ambiental teve início na tarde de segunda-feira (4), durante uma atividade de pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

O Corpo de Bombeiros trabalhou mais de 12 horas no combate ao fogo e as chamas só foram totalmente debeladas por volta da 1 hora da madrugada desta terça-feira (5). Mais de 30 bombeiros trabalharam para combater o incêndio.

continua após publicidade

Explicação
A UFPR informou que o grupo fazia uma queima controlada no local e que as chamas se espalharam por causa de uma rajada de vento e saíram do controle.

A universidade afirma que a queima tinha licenciamento do IAP e foi feita com supervisão de representantes do Parque Estadual de Vila Velha.

A universidade acrescentou que atividades com queima controlada são comuns no parque e servem para o controle de espécies exóticas e para a diminuição de risco de incêndio de grandes proporções.

Controvérsia e inquérito
Já o IAP frisa que o grupo não seguiu as recomendações do instituto, principalmente por conta do forte vento forte. Agora A Polícia Civil vai instaurar um inquérito para investigar o caso.