Cotidiano

“Prefeito por 1 dia”, Youtuber bane heterossexuais e sofre impeachment

Da Redação ·
“Prefeito por 1 dia”, Youtuber bane heterossexuais e sofre impeachment - Foto: Reprodução/Twitter
“Prefeito por 1 dia”, Youtuber bane heterossexuais e sofre impeachment - Foto: Reprodução/Twitter

O pequeno município de Hell, no estado norte-americano de Michigan, tem uma lei diferenciada que possibilita a qualquer um um dos cidadãos se tornar prefeito do lugar por um dia, desde que a pessoa pague uma taxa de US$ 100. Por conta dessa lei, o youtuber Elijah Daniel resolveu aceitar a empreitada, mas se deu mal já na primeira medida adotada.

continua após publicidade

“Se Donald Trump, uma estrela de reality shows, pode ser nosso presidente, não há qualquer motivo pelo qual eu não posso ser um político”, argumentou Daniel através do Twitter. O documento de proclamação do youtuber  como prefeito afirma que “a cidade precisa de um prefeito” e que “ninguém mais quer a posição”, conforme o nydailynews.com

Tudo seguia dentro da normalidade no que podia ser considerado uma brincadeira saudável em uma cidadezinha pacata do interior dos EUA, até Daniel  anunciar sua primeira medida como prefeito: banir os heterossexuais do município.

continua após publicidade

“Como o prefeito atual de Hell, Michigan, eu declaro o banimento de todos os heterossexuais de entrarem em nossa cidade”, enfatizou o então político em um tweet, no qual detalhou o documento justificando os motivos para a medida. 

 Conversão homossexual 
Sob a sua administração, os moradores de Hell seriam obrigados a "pagar um depósito de US $ 84.000, que receberiam após um ano se não se envolvessem em "atividades heterossexuais, enquanto uma terapia de conversão homossexual seria estimulada".

Impeachment
Logo após o anúncio da medida de Daniel, os moradores de Hell entraram com um pedido de impeachment contra o Youtuber. 

continua após publicidade

“Apesar de ter aproveitado meu período enquanto prefeito de Hell, fui informado de que sofri impeachment. Isso não vai afetar minha campanha presidencial”, ironizou o ex-prefeito. 

Protesto contra Trump
Ele explicou o motivo da pilhéria: protestar contra as medidas adotadas por Donald Trump contra os muçulmanos nos Estados Unidos.