Cotidiano

Mulher tem casa destruída após ser presa por assassinar criança e esconder corpo no forno 

Da Redação ·
Casa foi destruída na madrugada deste sábado. Foto: Augusto Klein/RPC
Casa foi destruída na madrugada deste sábado. Foto: Augusto Klein/RPC

A casa onde morava uma mulher presa na sexta-feira (25) pelo assassinato de um menino de seis anos foi destruída. O fato foi registrado em Almirante Tamandaré, Região Metropolitana de Curitiba, na madrugada deste sábado (26). Segundo a polícia, a residência foi depredada por moradores da região. Alguns pertences foram furtado e outros queimados.

continua após publicidade

Em depoimento à polícia, a mulher confessou o crime. Inicialmente ela havia afirmado que agiu sozinha, no entanto, mudou a versão revelando que o marido ajudou a matar o garoto. O homem de 36 já tinha passagem pela polícia pelo estupro da própria filha.

Os dois devem responder por homicídio triplamente qualificado e estelionato.

continua após publicidade

Crime
A mulher de 19 anos foi presa depois de confessar à polícia que matou uma criança de seis anos e escondeu o corpo dentro do forno da casa. O menino estava desaparecido desde o início da manhã desta sexta-feira (25).

De acordo com o delegado da cidade, Tito Barrichelo, o corpo foi achado no início da tarde na casa da suspeita. “Ela desferiu três golpes com um tijolo de concreto contra o menino. E depois enforcou a criança com o fio de uma enceradeira”, explicou. À polícia, a mulher afirmou que colocou o corpo dentro do forno e que depois jogaria em outro local.

A motivação do crime, segundo o delegado, seria uma vingança contra a mãe da criança. “O que ela nos falou foi que as duas tiveram uma discussão porque a mãe do menino estaria usando a internet dela”, disse Barrichelo.

Durante a investigação, a polícia descobriu que a suspeita se apropriava do dinheiro de dois benefícios que a mãe da criança tinha direito. Ainda pela manhã, antes do corpo do menino ser encontrado, a suspeita já tinha sido conduzida à delegacia pelo crime de estelionato. Na delegacia ela negou a acusação e ainda disse que nada sabia sobre o desaparecimento da criança.
“Só depois que o corpo foi encontrado é que, em um novo depoimento, ela confessou o crime”, disse Barrichelo.