Mais lidas
Cotidiano

Mulher autista mantida em cárcere privado com cães pelo pai se alimentava de terra e fezes

.

Fotos mostram local do cárcere onde mulher autista era mantida - Foto: Reprodução/Polícia Civil/MG
Fotos mostram local do cárcere onde mulher autista era mantida - Foto: Reprodução/Polícia Civil/MG

A Polícia Civil de Minas Gerais divulgou imagens do local onde um pai mantinha a filha autista em cárcere privado e situação desumana há mais de um ano, em Belo Horizonte. José Tomé da Cruz, de 61 anos, foi preso em flagrante por sequestro e cárcere privado da filha de 39 anos. De acordo com investigadores mineiros, a vítima foi privada do convívio social por conta da deficiência mental. A companheira de José, Vera Lúcia da Cruz, de 47 anos, também acabou detida como cúmplice na situação.

Vizinhos informaram a polícia sobre o confinamento da mulher no bairro Goiânia através de denúncia anônima. No local do cárcere estavam guardados veículos e cachorros, anexo a um pequeno quarto, com pia, vaso sanitário e cama em más condições de conservação. A filha ficava sozinha na parte externa do imóvel durante dia e era trancada no cômodo à noite.

"Percebemos que um homem ia ao local e dava comida para ela e a deixava sozinha. No período noturno, a vítima era trancada em um quarto que havia no local, e na manhã seguinte voltava a ficar solta", detalhou o delegado Rodolfo Rabelo Alves.

Comia terra e fezes
De acordo com Alves, José jogava alimentos para a filha pelo muro ou entregava comida em potes de sorvete sem dar talheres e pratos para a ela comê-los. "Ela também se alimentava de terra e das próprias fezes", ressaltou o delegado. Já Vera aceitava passivamente o tratamento desumano que o marido dava à filha.


Pai achava normal
"Para o pai, essa era uma situação normal. Ele estava cuidando dela dessa forma porque ela dava muito trabalho, sujava a casa. E como ele não tinha condições para pagar alguém fixo para tomar conta dela, achou mais seguro trancar sua filha no terreno com os cachorros", completou o delegado.

A vítima foi levada ao Centro de Referência em Saúde Mental (Cersam) Nordeste, após a prisão do casal na última sexta-feira (18).

Com informações da Polícia Civil de Minas Gerais

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber