Cotidiano

Jornalista desaparecida morreu dentro de submarino e corpo foi jogado ao mar

Da Redação ·
Foto divulgada pela família de Kim Wall, jornalista morta em submarino na Dinamarca - Foto: Tom Wall / Handout
Foto divulgada pela família de Kim Wall, jornalista morta em submarino na Dinamarca - Foto: Tom Wall / Handout

A morte da jornalista sueca Kim Wall, que foi vista pela última vez no dia 10 de agosto, foi elcucidada pela polícia da Dinamarca. O inventor dinamarquês Peter Madsen revelou que ela morreu em um acidente dentro do submarino construído por ele e o corpo da jornalista foi jogado ao mar. O caso é tratado sob sigilo, mas a explicação de Madsen do que aconteceu dentro da embarcação foi divulgada após pedido da defesa e da acusação.

continua após publicidade

Buscas pelo corpo da jornalista continuam sendo realizadas. De acordo com a polícia de Copenhague, as autoridades marítimas determinaram a rota da viagem do submarino na baía de Koge e no estreito de Oresund antes dele naufragar para auxiliar nas buscas, conforme o jornal britânico The Guardian.

O inventor acrescentou que largou o corpo de Kim em algum lugar da baía de Koge, no sul de Copenhague, segundo informações divulgadas pela polícia. Buscas envolvendo mergulhadores, helicópteros e navios estão sendo feitas na rota identificada. O submarino já foi retirado do mar. O inventor dinamarquês é acusado de homicídio negligente. A polícia informou que não pode revelar mais informações no momento.

continua após publicidade

Kim tinha 30 anos e escrevia para diversos órgãos de comunicação internacionais. O desaparecimento da jornalista foi relatado pela primeira vez pelo namorado dela depois que Kim não voltou do que deveria ser uma pequena viagem ao submarino de Madsen. Ela estava coletando dados para uma matéria sobre o inventor e o submarino de 40 toneladas, que chegou a ser a maior embarcação particular do gênero.

Jornalista desaparecida morreu dentro de submarino e corpo foi jogado ao mar fonte: Reprodução

Submarino naufragou perto de Copenhague
Foto: Jens Noergaard Larsen/EPA

Resgatado e preso
A polícia dinamarquesa supõe que o submarino foi afundado intencionalmente pelo próprio Madsen. Ele foi resgatado antes de ser preso. Madsen pulou na água depois que o submarino começou a afundar, informando ao pessoal do barco que o resgatou que havia um problema com o tanque de lastro e algo deu errado quando ele tentou repará-lo.

Duas versões
Preliminarmente o inventor afirmou que Kim desembarcou do submarino na noite de 10 de agosto próximo de onde eles se encontraram mais cedo. No entanto, a polícia relatou que depois ele apresentou uma nova versão dos fatos que agora veio a público.