Cotidiano

Internautas escolhem nome ‘Cacau’ para onça-pintada que nasceu em refúgio 

.

A oncinha Cacau completou sete meses na última sexta-feira (28) - Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional) Cacau completou sete meses na última sexta-feira (28) - Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional
A oncinha Cacau completou sete meses na última sexta-feira (28) - Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional) Cacau completou sete meses na última sexta-feira (28) - Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

Internautas escolheram o nome ‘Cacau’ para a onça-pintada preta que nasceu no Refúgio Biológico de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Foram quase 30 mil votos, no total, na última fase do concurso realizado para batizar o animal. O resultado foi divulgado nesta terça-feira (1º). A sugestão vencedora foi de Meiriele Maria Ribeiro Minhuk, de Ribeirão Preto (SP). Ela vai ganhar um Iphone e o status de madrinha da filhote.

O concurso teve início em 27 de junho e foi encerrado às 17h de segunda-feira (31). O público votou pela internet as seguintes opções de nomes: Amora, Bela, Cacau, Gaia e Jade.

O segundo nome mais votado foi Gaia, com 12% da preferência dos eleitores. Jade ficou em terceiro, com 7% dos votos. Em quarto ficou Amora, com 6,5%, seguido por Bela, com 4% dos votos.

Os autores dos cinco nomes classificados para a fase final vão ganhar passeios nos atrativos turísticos de Foz do Iguaçu. A premiação de premiação dos participantes deve ser realizada entre os dias 10 e 15 de agosto.

Cacau foi a primeira bebê-onça a nascer no refúgio, e completou sete meses na última sexta-feira (28). Ela e a mãe, Nena, podem ser visitadas pelo público desde abril.

Nascimento em cativeiro
O nascimento de Cacau, no dia 28 de dezembro de 2016, foi o primeiro caso bem-sucedido de reprodução da espécie em cativeiro no refúgio em 14 anos de tentativas. O objetivo é que no futuro estes animais possam ser inseridos à natureza, onde atualmente são ameaçados de extinção. A onça-pintada preta é ainda mais rara.

Nena, a mãe, tem três anos e chegou ao refúgio em agosto de 2016, doada pelo Criadouro Científico Instituto Onça-Pintada, de Goiás. Já o pai, tem nove anos e é morador antigo do refúgio. O encontro entre o casal aconteceu três meses depois da chegada de Nena.

Visitação
O Refúgio Biológico Bela Vista é aberto à visitação de terça a domingo, com saídas às 8h30, 9h30, 10h30, 13h30, 14h30 e 15h30. A duração é de duas horas e meia, com ingresso a R$ 24 para adultos. Moradores dos municípios lindeiros ao Lago de Itaipu não pagam.

O local
O Refúgio Biológico Bela Vista está instalado em uma área de 1.908 hectares, na margem brasileira da usina, em Foz do Iguaçu (PR). O espaço reúne hoje a maior diversidade de espécies da flora e da fauna regional, muitas delas ameaçadas de extinção. O plantel de Itaipu conta com mais de 380 animais.

Com informações da Itaipu Binacional