Cotidiano

Família lança amanhã 1º livro decodificado do 'alquimista' desaparecido do Acre

.

Imagem - Reprodução
Imagem - Reprodução

Lançado como e-book no último sábado (21), “TAC – Teoria da Absorção do Conhecimento”, a obra do “alquimista” acreano Bruno Borges, de 24 anos, que desapareceu misteriosamente em 27 de março deste ano, teve sua edição física confirmada para amanhã, dia 27 de julho, quatro meses após o sumiço. O livro deve ser disponibilizado em livrarias de todo o País. A publicação feita pelo selo Arte e Vida corresponde ao primeiro dos 14 livros escritos pelo rapaz, tem 160 páginas e chega ao mercado com o preço sugerido de R$ 24,90. 

A obra promete ensinar uma metodologia capaz de potencializar a absorção e a criação de novos conhecimentos. Além de disponibilizar uma prévia do conteúdo dos manuscritos produzidos pelo menino do Acre, o site oficial do projeto dá alguns detalhes gerais sobre o produto. 

Segundo a página, “Bruno Borges revela através de intensa pesquisa uma metodologia capaz de potencializar a absorção e a criação de novos conhecimentos”. Adicionalmente, o endereço oferece uma biografia completa do autor e postagens que discutem a influência de nomes como Giordano Bruno e Blaise Pascal no trabalho do acreano.

Capa do livro de Bruno Borges - Foto: Reprodução

O sumiço ainda é mistério
O sumiço do estudante de psicologia Bruno Borges de sua residência em Rio Branco, no Acre, ainda é um mistério. A mãe dele, a psicóloga Denise Borges, elenca uma série de razões que fazem acreditar que o caso não se trata apenas de mais um sumiço de pessoa.

Durante um almoço convencional com a família foi a última vez que os parentes o viram. Denise conta que no dia do desaparecimento que Bruno voltou para casa e todos seguiram o dia normal de trabalho. Mais tarde, o pai retornou para a residência da família em Rio Branco e percebeu que o filho não estava.

Atrás da porta do quarto, mantida por ele durante quase um mês trancada, no lugar de móveis, uma estátua do filósofo Giordano Bruno (1548-1600), por quem tem grande admiração, orçada em R$ 7 mil, e 14 livros extremamente organizados, escritos à mão. Alguns deles copiados nas paredes, teto e no chão. Todas as obras – identificadas por números romanos – criptografadas.

O mistério repercutiu nas redes sociais depois que um vídeo – gravado sem autorização da família – viralizou. O sumiço do jovem foi investigado pela Polícia Civil do Acre. O coordenador da Delegacia de Investigação Criminal (DIC), delegado Fabrizzio Sobreira, afirmou que todas as possibilidades foram consideradas, mas até hoje o rapaz não foi encontrado.

No quarto, os escritos são feitos de forma impecável, com precisão e simetria, como em uma página de caderno. Várias simbologias foram desenhadas no cômodo e também ao redor da estátua. Um quadro na parede em que Bruno aparece sendo tocado por um extraterrestre também mostra o interesse do jovem pelos mais diversos assuntos.

Livros que Bruno escreveu, segundo a mãe 
Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Muitas teorias envolvem o caso. Nas redes sociais, internautas atentaram inclusive à visível semelhança física entre o acreano e o próprio Giordano Bruno, com quem compartilha um dos nomes. Para alguns, o jovem pode estar tentando terminar as obras do filósofo, trabalho interrompido pela sua morte pela Inquisição.

Refúgio nos livros e bondade
Os livros são o refúgio de Bruno Borge desde a adolescência, quando passou a considerar que havia estudado pouco até então e que precisava compensar o tempo perdido. 

Desde muito cedo, Bruno demonstrava ser diferente e, conforme a mãe, querido por todos devido ao coração bondoso. Ela diz que os amigos dele sempre foram mendigos ou pessoas excluídas pela sociedade, como portadores de distúrbios mentais.

Divulgação ao público
A família de Bruno, no entanto, resolveu transformar a possível tragédia que supostamente envolve o rapaz em uma oportunidade de fazer o trabalho dele chegar ao público, com a divulgação da obra do rapaz, que supostamente potencializa a absorção de novos conhecimentos.