Cotidiano

Após ser denunciada pelo próprio marido, mulher é presa por traficar crack em casa

.

Cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, o crack é também mais cruel e devastador - Foto: TNOnline
Cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, o crack é também mais cruel e devastador - Foto: TNOnline

Uma mulher de 37 anos foi presa em flagrante pela Polícia Militar (PM) no fim de semana em Faxinal (Norte do Paraná) sob suspeita de tráfico de entorpecentes.  De acordo com a PM, a detida foi denunciada pelo próprio marido. Ele afirmou que não aguentava mais ver o que estava acontecendo dentro de sua própria casa.

Conforme o marido, a presa vendia crack em casa a viciados de toda cidade. Como ele é o proprietário do imóvel, autorizou a entrada dos policiais na residência.

Durante revista na moradia os PMs acharam nove pedras de crack dentro de uma das bolsas da mulher, além de diversos papéis com suposta contabilidade do movimento financeiro relacionado ao tráfico, como números de contas, nomes de pessoas para que foi vendida a droga a prazo, com valores de dívidas pendentes de usuários de crack.

Venda de 'pedras' para pagar bicicleta
O homem que fez a denúncia relatou ainda que no sábado (01) havia presenciado a companheira vendendo algumas “pedras” do tóxico para pagar uma bicicleta. A mulher presa foi levada à Delegacia de Faxinal para os procedimentos legais.

Droga devastadora
Cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, o crack é também mais cruel e devastador do que ela, conforme o tenente-coronel José Francisco Cardoso, comandante do 10ºBPM, em Apucarana (norte do Paraná). Segundo o oficial da PM, a droga tem poder avassalador para desestruturar a personalidade, agindo num prazo muito curto e criando enorme dependência psicológica. Assim como a cocaína, o crack não causa dependência física, o corpo não sinaliza a carência da droga.

"Levam-se apenas 10 segundos para o tóxico fazer efeito, gerando euforia e excitação, respiração e batimentos cardíacos acelerados, seguidos de depressão, delírio e “fissura” por novas doses", afirma o tenente-coronel. 

Forma não salgada da cocaína
De acordo com especialistas, crack é a forma não salgada da cocaína isolada numa solução de água, depois de um tratamento de sal dissolvido em água com bicarbonato de sódio. 

Os pedaços grossos e secos têm algumas impurezas e também contêm bicarbonato. A serem consumidas, as 'pedras' estouram ou racham, por isso o nome “crack”.