Mais lidas
Cotidiano

Itaipu lança concurso para escolher nome de onça que nasceu em refúgio biológico

.

Bebê-onça vai completar seis meses na quarta-feira (28) - Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional
Bebê-onça vai completar seis meses na quarta-feira (28) - Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

A primeira bebê-onça preta nascida no Refúgio Biológico Bela Vista da Itaipu Binacional, no oeste do Paraná, completa seis meses amanhã (28). Para celebrar a data,  o setor de Comunicação Social de Itaipu, em parceria com o refúgio, vai lançar um concurso para escolher o nome da oncinha, a nova estrela daquela unidade de conservação. Na primeira etapa da eleição, os internautas terão dez dias de prazo para deixar sugestões de nomes na fanpage da Itaipu por meio de comentários no post do concurso. 

Dos nomes sugeridos, cinco serão selecionados por uma comissão interna e participarão da votação final, que terá a interatividade dos internautas, também via Facebook.

Os participantes que sugerirem os nomes classificados ganharão prêmios que tenham conexão com educação ambiental, como kit com materiais da Itaipu e visita especial para conhecer ou participar de atividades de enriquecimento ambiental. Para garantir o sucesso do concurso, algumas regras foram estabelecidas. 

O nome da onça deverá ser em português ou em tupi-guarani. Se dois ou mais internautas sugerirem o mesmo nome, valerá o comentário mais antigo. É possível sugerir mais de um nome até, no máximo, três. A sugestão tem que ser feita em comentário com seu próprio perfil, e não em resposta a outros comentários. Serão aceitos comentários até as 17 horas do dia 7 de julho (horário de Brasília). 

Filhote de onça junto com a mãe, Nena - Foto: Artur Bernardi/RPC

Estrela do Refúgio
Desde que a oncinha foi exposta, aumentou o número de visitantes no Refúgio Biológico Bela Vista.  Para garantir o bom manejo da família das onças, foi estabelecido um revezamento delas no local. As terças-feiras e sextas-feiras são reservadas para Valente, o pai, e o restante dos dias (quartas-feiras, quintas, sábados e domingos) para a bebê-onça e sua mãe. Nas segundas-feiras, o RBV fica fechado para manutenção. O recinto das onças fica localizado numa área de 1.100 m², que reproduz o ambiente natural e permite que os animais se exercitem.

O revezamento, que garante o bem-estar da família em cativeiro, foi padronizado pelos profissionais do refúgio. De acordo com eles, o macho deve permanecer separado da filha. Assim como na natureza, o pai não desenvolve instintos para cuidar dos filhotes e pode machucá-los.

Reprodução rara
O nascimento da onça foi um caso raro no Refúgio. Foi a primeira reprodução da espécie em 14 anos. Antes, outras tentativas haviam sido feitas com outras onças, como Juma, Tonhão, Valente e Teka, mas foram infrutíferas. A reprodução de onças-pintadas em cativeiro pretende contribuir para a manutenção da espécie, ameaçada de extinção na Região Sul do País. Hoje, a população de onças-pintadas na Mata Atlântica é estimada em cerca de 200 indivíduos.

O pai da oncinha, Valente, chegou ao Refúgio procedente de uma área na divisa de São Paulo e Mato Grosso do Sul. A mãe, Nena, é da divisa de Goiás e Mato Grosso. A Itaipu só recebe animais vindos de criadouros, que normalmente não têm mais condições de viver na natureza. A principal preocupação, além dos cuidados com os animais, é a reprodução das espécies.

Com informações do setor de comunicação social da Itaipu 

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber