Cotidiano

Por que os seres humanos sempre fazem sexo à noite?

Da Redação ·
Segundo Pesquisadores, humanos dormem após fazer sexo para que a reprodução seja mais facilitada - Foto - Pixabay
Segundo Pesquisadores, humanos dormem após fazer sexo para que a reprodução seja mais facilitada - Foto - Pixabay

A maior parte das pessoas trabalha e desenvolve suas atividades cotidianas ao longo do dia e dorme à noite, por isso o sexo fica para o período noturno e é também por isso que a expressão “dormir com alguém” virou sinônimo de fazer sexo. É fato que fazer sexo e dormir são coisas relacionadas no comportamento humano, embora ainda não tenhamos conhecimento mais detalhado do por que uma coisa tem a ver com a outra.

continua após publicidade

Não há explicação  para nos revelar porque é biologicamente melhor deixar a hora do sexo coincidir com a hora que vamos deitar e dormir. Por razões óbvias, em situação de infidelidade, entretanto, as pessoas são mais flexíveis em relação ao horário no qual fazem sexo.

Conforme um artigo sobre comportamento humano publicado no Psychology Today, geralmente os relacionamentos sexuais conjugais ocorrem mesmo um pouco antes de o casal dormir, à noite – em questão de horário, mais de 50% dos casais fazem sexo entre às 22h e às 2 horas, e isso vale até mesmo para os finais de semana, evidenciando que nossa rotina de trabalho tem um papel fundamental na maneira como programamos a vida.

continua após publicidade

Estudos sobre o assunto apontam o que já era de se esperar: pessoas casadas fazem sexo à noite também porque é quando estão juntas, disponíveis uma para a outra, depois de um longo dia de trabalho. As relações sexuais entre pessoas casadas são muito mais comuns à noite do que pela manhã.

Pesquisadores supõem que, do ponto de vista fisiológico, humanos dormem após fazer sexo para que a reprodução seja mais facilitada, pois em relacionamentos entre pessoas heterossexuais, a mulher fica deitada, evitando o trabalho da gravidade e ficando com o sêmen em seu corpo por mais tempo. Alguns especialistas acreditam ser uma forma de potencializar as chances de gravidez, assim como a intimidade do casal, que fica junto após o sexo.

Dormir junto, inclusive, é uma forma de estreitar ainda mais a relação do casal e de aumentar a intimidade, principalmente se os dois dormem abraçados e se trocam carinhos. 

continua após publicidade

Já em termos evolutivos, vale ressaltar que dormir abraçado é uma forma de reter calor, o que é de grande valia em períodos frios e possivelmente já garantiu a sobrevivência de nossos ancestrais.

Da mesma forma, duas pessoas que dormem juntas conseguem detectar melhor os riscos de ameaça durante a noite – ou seja: a conchinha pode ser, na verdade, uma herança de nossos antepassados.

Quando dormimos de conchinha, nosso corpo produz o hormônio ocitocina, conhecido por melhorar o relacionamento entre as pessoas e estreitar os laços – esse hormônio é conhecido também por estreitar o afeto entre mãe e bebê e isso vale para outros mamíferos, como a ratazana.

Estreitar laços
Levar em consideração todos esses pontos certamente nos ajuda a entender por que as pessoas, instintivamente, preferem fazer sexo na hora de dormir. Assim, elas terminam o dia bem e aproveitam para estreitar os laços com a pessoa com a qual estão casadas – sem falar que para os casais que buscam ter filhos, as chances de concepção parecem ser maiores.