Cotidiano

Grupo adverte para riscos nutricionais na dieta vegana em grávidas e crianças

.

(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

A dieta vegana consiste em não consumir produtos de origem animal,como carne, peixe, dentre outros. Essa nova maneira de se alimentar vem conquistando adeptos em todo o mundo.

Mas um artigo publicado pela Sociedade Alemã de Nutrição (DGE) alerta para possíveis riscos nutricionais na dieta vegana, principalmente em gravidas e crianças. A DGE é um grupo que desde 1953 analisa a qualidade da alimentação pública na Alemanha, inclusive com aconselhamento nutricional.

De acordo com o grupo em uma dieta vegana o fornecimento de energia é mais baixo, devido a ausência de qualquer alimento animal. Essa alimentação é um risco especialmente para bebês e crianças em fase de crescimento, período onde o corpo exige uma alta densidade de nutrientes.

(Foto: Pixabay)

O grupo alerta principalmente para riscos durante a gravidez de mães veganas. O bebê corre risco como distúrbios neurológico grave e atraso em seu desenvolvimento. O perigo é ainda maior se a dieta vegana é praticada durante grande parte da gravidez. O artigo afirma que outros grupos, como a Sociedade Europeia de Gastroenterologia Pediátrica, Hepatologia e Nutrição (ESPGHAN) também não recomendam a dieta vegana para grávidas e crianças.

Em uma observação por parte de grupos nutricionais da Holanda foi constatado que crianças de até 10 anos de idade que vivem sob uma dieta vegana foi notado um retardo de crescimento nas faixas entre 4 e 18 meses de vida. Foi observado também um desenvolvimento psicomotor mais lento nessas crianças.

Devido ao fato da dieta ser menos variada e consequentemente possuir uma variedade limitada de alimentos, existe uma probabilidade de uma maior falta de nutrientes. O risco de um fornecimento baixo de energia para uma dieta vegana é considerado alto pelo artigo. O grupo alerta para uma maior deficiência em nutrientes como ferro, cálcio, iodo, zinco, vitamina B 12 e vitamina D.

A DGE recomenda que, especialmente nos primeiros anos de vida de uma criança, que seja fornecimento uma alimentação adequada incluindo todos os grupos alimentares evitando riscos ao desenvolvimento e a saúde da criança.