Cotidiano

Freud ficou viciado em cocaína ao tentar ajudar amigo, revela livro

.

Freud pesquisou tudo o que podia sobre a cocaína exatamente para uso próprio - Foto: Pixabay
Freud pesquisou tudo o que podia sobre a cocaína exatamente para uso próprio - Foto: Pixabay

O médico neurologista e autor da psicanálise (a cura pela conversa), Sigmund Schlomo Freud, é uma das figuras mais respeitadas pela psicologia atual e referencial para aqueles que ministram e buscam tratamento psicológico. No entanto, é de conhecimento público que essa personalidade antológica do mundo da psicanálise era viciada em cocaína. Mas você sabe por quê uma mente tão brilhante foi tragada e aprisionada pelo vício?

Howard Markel, amigo de longa data do médico e professor de História da Medicina na Universidade de Michigan (EUA),  escreveu um livro chamado "An Anatomy of Addiction: Sigmund Freud, William Halsted and the Miracle Drug Cocaine". Em sua publicação, podemos conhecer um pouco sobre Freud e os detalhes de seu envolvimento com a droga. 

Ajudar amigo 
Conforme Markel, o  verdadeiro motivo que levou o notável austríaco Freud ao uso da droga é que ele queria ajudar um de seus amigos mais queridos, o médico Ernst von Fleischl-Marxow, a se livrar-do vício em morfina. 

O também médico sofreu uma amputação e precisava da substância para amenizar a dor absurda que sentia todos os dias. Freud acreditava que a cocaína poderia curá-lo. Em maio de 1884, o amigo foi convencido por Freud a tentar usar a cocaína para substituir a morfina, que estava lhe fazendo mal. Os resultados foram pífios e acabaram ambos viciados: Freud e Fleischl-Marxow. 

Pesquisa para uso próprio
Como muitos médicos, Freud pesquisou tudo o que podia sobre a cocaína exatamente para uso próprio. Tudo isso para saber com precisão qual era o efeito da droga em seu corpo. Certa vez, o médico descreveu para seus amigos, colegas, irmãos e sua noiva, Martha, que a substância o fazia ficar forte e dava um pouco de cor às suas bochechas. 

Markel descreveu em certa parte de seu livro: "Durante o período de várias semanas, Sigmund Freud engoliu dezenas de cápsulas de cocaína em doses que variam de 0,05 a 0,10 gramas. A partir dessas experiências que ele próprio teve, foi capaz de compor um relatório preciso dos efeitos imediatos que a droga exerce sobre o ser humano".

Freud pesquisou tudo o que podia sobre a cocaína exatamente para uso próprio - Foto: obviousmag.org

Análise científica
O próprio Freud escreveu uma análise científica sobre a cocaína, seus efeitos e consequências intitulada "Über Coca" em julho de 1884. Foi a primeira grande publicação médica dele. A maior parte dos artigos é bem redigida e Freud incorpora seus próprios sentimentos, sensações e experiências vividas. Em seus escritos, Freud afirma que a droga pode servir como um grande medicamento, sendo eficaz para a morfina e o abuso de álcool, sem deixar de mencionar que é extremamente viciante. Apesar de ter sido uma bela análise, o estudo não rendeu os elogios e reconhecimentos que o médico esperava, já que não foram apresentadas as habilidades anestésicas da substância.

Parada
Freud parou com o uso da cocaína em 1896. "As informações precisas sobre o uso da droga, tanto antes como depois dessa data, podem muito bem estar entre os segredos de Sigmund. A ausência de provas nem sempre significa evidências. No final, nós provavelmente nunca vamos realmente saber", finaliza Howard Markel.

As informações são do portal PSYCHCENTRAL/MARGARITA TARTAKOVSKY