Facebook Img Logo
Mais lidas
Cotidiano

Impacto de meteorito alterou campo magnético da Terra, afirma agência 

.

Anomalia no campo magnético em torno de cidade africana pode ter sido causada pelo impacto de meteorito - Foto: History channel/imagem ilustrativa
Anomalia no campo magnético em torno de cidade africana pode ter sido causada pelo impacto de meteorito - Foto: History channel/imagem ilustrativa

Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) divulgou esta semana um comunicado relatando que a anomalia detectada no campo magnético em torno da cidade de Bangui, na República Centro-Africana, pode ser causada pelo impacto de um meteorito 540 milhões de anos atrás

Nessa região, segundo o comunicado, o campo magnético é “significativamente mais agudo e mais forte” do que no resto do planeta. A alteração foi observada em um novo mapa do campo, elaborado pela equipe da ESA (clique aqui e veja vídeo), que possui a maior resolução já alcançada.

“Medições do espaço têm grande valor, pois oferecem uma visão global nítida sobre a estrutura magnética da camada externa rígida do nosso planeta”, afirma Rune Floberghagen, líder da missão Swarm, cujo satélite, assim como o alemão CHAMP, forneceu os dados para fazer o mapeamento. 

Conforme os cientistas, compreender o campo magnético da Terra, assim como suas anormalidades, é fundamental para desvendar a história do planeta que está impressa em sua crosta. 

Esse campo é como “um enorme invólucro que nos protege da radiação cósmica e das partículas carregadas que bombardeiam nosso planeta com o vento solar”, sem o qual “não existiria a vida tal como conhecemos”, detalha a agência.

Mapa do campo magnético litosférico mostra variações detalhadas - Imagem: ESA

maior parte do campo magnético, de acordo com a ESA, se forma a 3.000 quilômetros de profundidade, pelo movimento de ferro fundido do núcleo externo. Os 6% restantes se são originados pelas correntes elétricas existentes no espaço que rodeia a Terra e as rochas magnetizadas na litosfera superior – porção rígida mais exterior do planeta, que corresponde à crosta e o manto superior.

O mapa elaborado pela equipe de pesquisadores europeus conseguiu mostrar com detalhes as variações no campo magnético litosférico, que, por ser mais frágil, é mais difícil de ser observado do espaço. Uma delas é a que está localizada em Bangui. 

Os pesquisadores suspeitam que ela tenha sido originada por um impacto com um objeto rochoso no passado, pois ele muda conforme uma nova crosta é criada pela atividade vulcânica e pelo resfriamento do magma. Esses minerais solidificados deixam um registro da história magnética da Terra.

Movimentos das placas tectônicas
O cientista Dhananjay Ravat, radicado na Universidade de Kentucky, nos Estados Unidos, detalha que as linhas do campo magnético também permitem identificar os movimentos das placas tectônicas. “O novo mapa define as características do campo magnético até 250 quilômetros de profundidade e pode ajudar a investigar a geologia e as temperaturas na litosfera da Terra”, acrescenta.

As informações são da Agência Espacial Europeia (ESA)

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Cotidiano

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber