Cotidiano

Sacrifício de cãozinho a tiros em aeroporto gera onda de protestos na net

.

Tentativas capturar o cachorrinho falharam e animal acabou morto a tiro - Foto: Reprodução/Facebook
Tentativas capturar o cachorrinho falharam e animal acabou morto a tiro - Foto: Reprodução/Facebook

Um cão policial de 10 meses foi morto pela polícia nesta sexta-feira (17) após escapar e invadir a pista de voo do aeroporto de Auckland, na Nova Zelândia, quando acompanhava agentes de segurança. A fuga do cão provocou atrasos em pousos e decolagens, com consequente tumulto. Como as tentativas de captura do cachorrinho falharam, o animal acabou morto a tiro.

Grizz, que foi treinado para ser farejador, era empregado pela polícia para detectar drogas e bombas. A morte do cão causou indignação na Nova Zelândia, Austrália e outros países.

De acordo com jornal britânico "The Gardian", funcionários tentaram pegar o cão por cerca de três horas, antes de a polícia receber a ordem de executá-lo a tiros. Neste tempo o local ficou sem operar voos. 

Conforme o porta-voz do aeroporto, funcionários fizeram de tudo para capturar o caozinho e ficaram tristes com a morte do animal.

Agentes da segurança prometeram investigar o  caso, que ganhou destaque na internet. Usuários criticaram a ação dos funcionários do aeroporto.  Organizações de defesa dos direitos animais também reprovaram a decisão de sacrificar o cachorrinho.

Pressão pela net
Um abaixo-assinado na internet visa pressionar as autoridades a punir os responsáveis pela morte do animal. Até agora, a página já tem mais de duas mil assinaturas.

As informações são do The Guardian