Mais lidas
Cotidiano

Vala com corpos de 800 bebês e crianças é achada em orfanato na Irlanda

.

Restos mortais de 800 crianças e bebês foram descobertos em antigo orfanato Foto: Niall Carson / PA
Restos mortais de 800 crianças e bebês foram descobertos em antigo orfanato Foto: Niall Carson / PA

Uma fossa ou vala comum com os restos mortais de pelo menos 800 bebês e crianças foi descoberta em um antigo orfanato católico na Irlanda, disseram nesta sexta-feira (3) fontes da polícia irlandesa ao  portal do The Guardian

A descoberta confirma suspeitas levantadas há décadas de que a grande maioria das crianças que morreram no orfanato foram enterradas no local sem identificação, uma prática comum em tais instalações administradas pela Igreja católica em meio a altas taxas de mortalidade infantil na Irlanda do início do século XX.

Testes de DNA indicaram que as crianças enterradas nas 20 câmaras da fossa tinham idade entre 35 semanas e 3 anos. A investigação foi feita por uma comissão, instituída pelo governo local para apurar a atuação de centros religiosos no auxílio a jovens grávidas, após uma denúncia da historiadora Catherine Corless, que descobrira a certidão de óbito de 800 crianças residentes na instituição, mas nunca os registros de enterro delas.

Localizado na cidade de Tuam, o orfanato "Bon Secours Mãe e Baby Home" funcionou entre os anos de 1925 e 1961 como um lar para crianças e mães solteiras jovens.

Santuário em memória às 800 crianças sepultadas no local do antigo orfanato - Foto: Paul Faith / AFP / Getty Images

As autoridades britânicas revelaram que as mulheres e jovens eram submetidas a tratamentos violentos e passavam fome. Muitas delas trabalhavam gratuitamente em troca de auxílio das freiras na gravidez e no parto. Após os bebês nascerem, eles eram colocados em locais separados de suas mães e, quando não morriam, eram entregues para adoção.

Filho vendido
Lançado em 2013, o filme "Philomena" narra um episódio ocorrido em 1952, quando uma mulher que engravidou na adolescência, foi mandada para o convento Roscrea e teve seu filho vendido por freiras católicas. Em 2014, a mulher que inspira um filme, a irlandesa Philomena Lee, reuniu-se com o papa Francisco, no Vaticano.

Projeto de ajuda
Hoje,  Philomena Lee  está à frente do "Projecto Philomena", que tenta ajudar outras mães a encontrarem seus filhos e luta para que o governo irlandês promulgue uma lei que permita consultas a registros de crianças adotadas.

As informações são do The Guardian

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber