Mais lidas
Cotidiano

Cientistas detectam buraco negro gigante que mais engole matéria no Universo

.

O vermelho mostra material mais quente que cai em direção ao buraco negro e gera um raio X distinto.  Crédito: CXC/ M. Weiss/NASA / CXC
O vermelho mostra material mais quente que cai em direção ao buraco negro e gera um raio X distinto. Crédito: CXC/ M. Weiss/NASA / CXC

Astrônomos localizaram casualmente um buraco negro incomum na constelação de Virgem, apontado como o que mais engole matéria já encontrado até hoje no Universo. Tal buraco está localizado em uma pequena galáxia a cerca de 1,8 bilhões de anos-luz da Terra. O 'recordistas' gigante rasgou uma estrela próxima e depois continuou a se alimentar de seus restos por quase uma década, de acordo com pesquisa conduzida por astrofísicos da Universidade de New Hampshire. Esta "refeição" do buraco negro é 10 vezes mais longa do que qualquer outro episódio do gênero já detectado por cosmólogos. Um artigo descrevendo esses resultados foi publicado na edição de 6 de fevereiro da revista Nature Astronomy .

 Dacheng Lin, pesquisador da Universidade New Hampshire em Durham, falou sobre a nova descoberta. "Testemunhamos a agonia excitante e duradoura da estrela. Nos anos anteriores, estávamos buscando sinais e examinando dezenas de rupturas estrelares, mas nenhum dos fenômenos era tão luminoso e demorado como esse", detalha. 

Quando estrelas e outros objetos se aproximam do buraco negro, este os engole, mas por partes, lentamente, o que aumenta o brilho da estrela. Esse fenômeno pode ser observado durante meses graças ao atraso gravitacional do tempo nos arredores do buraco negro. De acordo com Lin, a sua equipe descobriu por acaso um dos buracos negros mais extraordinários ao observar o conjunto de galáxias NGC 5813 na constelação de Virgem, localizada a bilhões de anos-luz da Terra. 

Com auxílio de telescópios, os cientistas descobriram mais uma galáxia, sendo esta mais próxima ao nosso planeta, SDSS J1500+0154, que atualmente está na etapa de formação estrelar. Um buraco negro relativamente pequeno se encontra no seu centro, cuja massa excede a da Terra apenas em um milhão de vezes.

luminosidade especial deste buraco negro chama a atenção dos astrônomos. Descobriu-se que o buraco esteve ativo nos anos de 2011, 2008 e 2006 e que tem "almoçado" há mais de 11 anos os restos estrelares. Com base na projeção pesquisadores, a fonte de alimentação do buraco negro deve ser significativamente reduzida na próxima década.

As informações são do portal phys.org

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber