Cotidiano

Juiz radicado na região norte do Paraná tem bens bloqueados

Da Redação ·
Juiz de Direito Luiz Carlos Boer é acusado pelo MP de envolvimento em esquema de propina milionária -  Foto: Reprodução/MassaNews
Juiz de Direito Luiz Carlos Boer é acusado pelo MP de envolvimento em esquema de propina milionária - Foto: Reprodução/MassaNews

A Vara da Fazenda Pública de Porecatu (norte do Paraná) acatou pedido de liminar do Ministério Público e bloqueou os bens do juiz de Direito Luiz Carlos Boer, acusado de enriquecimento ilícito e lesão ao erário público. Na ação constam também o nome de três prefeitos, uma usina, uma cooperativa, sócios de um escritório de advocacia e um assessor jurídico.

continua após publicidade

Conforme as investigações do Ministério Público, Boer atuou por décadas em um esquema de favorecimento em decisões judiciais mediante pagamento de propina.

De acordo com denúncia do MP, o assessor Valdir dos Santos fazia as petições iniciais, encaminhava ao escritório do advogado Osvaldo Pessoa Cavalcanti, que entravam com as ações no Fórum de Porecatu. “O juiz conduzia o processo de maneira impressionante. Se era de interesse do cliente do advogado, o processo voava. Se o cliente fosse ré, o processo parava”, afirma o promotor Renato de Lima Castro.

continua após publicidade

O MP acrescenta que o esquema também envolvia a Usina Central do Paraná, beneficiada com o impedimento de penhora de bens em execuções fiscais e ações trabalhistas. 

Em troca, a usina teria pago o tratamento de câncer da filha do juiz no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, além de bancar a compra de materiais de construção para a construção de uma casa para o magistrado, além da reforma e mobília do gabinete e reforma do Fórum de Porecatu.

Com informações do site MassaNews