Cotidiano

Dupla matou e esquartejou mulher porque ela teria furtado drogas 

Da Redação ·
André Oliveira da Silva Santos, 35 anos e Renan Fonseca da Cunha, 18 anos, seriam os autores do crime. Foto: Polícia Civil
André Oliveira da Silva Santos, 35 anos e Renan Fonseca da Cunha, 18 anos, seriam os autores do crime. Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil através da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), informou nesta quarta-feira (16) que identificou e prendeu mais duas pessoas envolvidas na morte de Júlia Alvarenga Formizano, 37 anos, encontrada esquartejada no dia 2 de novembro deste mês, no bairro Centro Cívico, em Curitiba. André Oliveira da Silva Santos, 35 anos e Renan Fonseca da Cunha, 18 anos, teriam assassinado a vítima porque ela teria furtado drogas. Ambos foram presos na Praça XIX de Dezembro, também no bairro Centro Cívico, após uma série de investigações realizadas pela especializada. 

continua após publicidade

A prisão da dupla ocorreu por meio de mandado de prisão preventiva, André foi detido por uma equipe policial da DHPP que estava de campana na região e Renan foi localizado pela Guarda Municipal (GM) e encaminhado à delegacia. Os suspeitos foram identificados depois que a polícia conseguiu descobrir o local em que a vítima foi morta. Um apartamento localizado no Centro Cívico, onde André e Renan – suspeitos de tráfico de drogas – utilizavam com ponto para o comércio ilícito de entorpecentes.

A partir da localização do imóvel, os investigadores conseguiram descobrir que o homicídio foi motivado porque a vítima supostamente teria furtado drogas do apartamento dos suspeitos depois de ter pernoitado na residência. De acordo com polícia, os suspeitos atraíram a vítima até o apartamento e tentaram fazer com que ela confessasse o furto das drogas, o que não aconteceu. 

continua após publicidade

“Ela não confessou e então a dupla resolveu matá-la. Os suspeitos utilizaram inicialmente um fio de computador para asfixiar a vítima e após ela ter desmaiado, a sufocaram utilizando um travesseiro”, explica a delegada responsável pelo caso, Sabrina Barreiros Alexandrino.A delegada conta ainda que os suspeitos dormiram com o cadáver dentro do apartamento para decidir posteriormente o que fariam com o corpo. 

“No dia seguinte os suspeitos decidiram serrar as pernas da vítima para facilitar a desova. Renan foi quem serrou com a concordância de André”, conta a delegada. Após cometerem o crime, a dupla fez uma proposta a dois moradores de rua para que desovassem o corpo da vítima em troca de dinheiro e drogas. Os moradores de rua aceitaram o acordo, buscaram o corpo e o deixam em um córrego na rua Aristides Teixeira, no bairro Centro Cívico. 

Prisão
Os outros dois envolvidos no crime já haviam sido presos pela polícia durante o percurso das investigações policiais. A primeira prisão aconteceu no mesmo dia em que a polícia localizou o corpo da vítima, quando um homem de 38 anos foi preso em flagrante nas proximidades do local do crime. A segunda prisão ocorreu no dia em 4 de novembro, pela Guarda Municipal (DM) de Curitiba. O suspeito foi identificado no momento em que estava perambulando pela Praça XIX, na região central da capital.

Diligência
Uma diligência crucial para a elucidação do caso foi a localização do apartamento onde ocorreu o crime. Ao se deslocar para o local suspeito, a equipe policial encontrou André, que inicialmente se recusou a atender a equipe, mas depois chegou a abrir a porta e correu até a cozinha do apartamento onde jogou um pedaço de serra e uma pequena porção de droga pela janela.“O que levantou a suspeita da polícia, foi o sumiço do André da residência. Imediatamente acionamos o Instituto de Criminalística até o local, onde foi realizado perícias, além de materiais - facas e serras - recolhidos", falou Sabrina.