Cotidiano

Pesquisa com ratos brincalhões mostra região do cérebro que impulsiona a cócega; veja vídeo

Da Redação ·
Foto: Science News
Foto: Science News

Como as pessoas, os ratos têm cócegas. Agora, através da implantação de eletrodos nos cérebros desses roedores de laboratório, os pesquisadores identificaram a região de origem das cócegas nos seres humanos.

continua após publicidade

O trabalho, publicado na edição de 11 de novembro de Science1, também revela que a susceptibilidade dos ratos a cócegas é afetada pelo humor, e assim como ocorre com seres humanos O estudo aponta ainda que os roedores tem cócegas em lugares semelhantes às pessoas - em suas barrigas e patas traseiras, mas não nas costas ou nas patas dianteiras.

No final dos anos 90, o neurocientista Jaak Panksepp, que era então da Bowling Green State University, em Ohio (EUA), descobriu que os ratos fazem ruídos ultra-sônicos quando sentem cócegas e enquanto brincam, o que pode ser considerado semelhante ao riso humano.

continua após publicidade

Vários outros animais têm cócegas, incluindo cães e chimpanzés, mas os ratos particularmente são fáceis de manusear no laboratório. Assim, os neurocientistas Michael Brecht e Shimpei Ishiyama do Centro Bernstein de Neurociência Computacional em Berlim decidiram usar os animais para testar o que acontece no cérebro.

Pesquisa com ratos brincalhões mostra região do cérebro que impulsiona a cócega; veja vídeo fonte: Reprodução

Costas, barrigas, caudas
Os pesquisadores inseriram oito elétrodos de fio na pequena área somatossensorial - a parte do cérebro de mamíferos que responde ao toque na pele - em cinco ratos. Em seguida, eles fizeram cócegas nos animais nas costas, ventres e caudas.

continua após publicidade

Os neurônios no tronco do córtex somatossensorial dispararam intensamente em resposta às cócegas do ventre, mas menos para cócegas nas costas e quase nada na cauda. 

Sem resposta para auto-cócegas
Em 1998, Chris Frith, neuropsicólogo e professor emérito no Wellcome Trust Center para Neuroimagem no University College de Londres, usou exames cerebrais para mostrar que a maioria das pessoas não responderá ao auto-cócegas porque a região do cérebro chamada cerebelo, que parece predizer que tipo de sentimento um movimento vai causar, anula a sensação de cócegas. 

Já pessoas com esquizofrenia, que têm dificuldade em distinguir sensações do mundo exterior e aquelas que desencadeiam, podem fazer auto-cócegas.

Com informações do portal nature.com