Cotidiano

Poluição atmosférica provoca morte de 600 mil crianças por ano

Da Redação ·
Poluição atmosférica provoca morte de 600 mil crianças por ano  Aproximadamente dois mil milhões de crianças vivem em zonas onde a poluição exterior ultrapassa os valores mínimos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (PMS). Em alguns casos, esses indíces são seis vezes superiores aos mínimos considerados respiráveis. A estimativa é de que  300 milhões de crianças são afetadas por estas condições, conforme estudo da UNICEF. O documento aponta ainda que a poluição do ar é responsável anualmente pela morte de 600 mil crianças com menos de cinco anos.  A Ásia Meridional regiatra o maior número de crianças submetidas a um ar fortemente poluído – 620 milhões; seguida da África com 520 milhões e da Ásia oriental e Pacífico, com 450 milhões.  “Quando vou para a escola de manhã , há sempre muito fumo. Muitas vezes, quando atravesso a estrada, nem consigo ver se o semáforo está verde ou vermelho. O fumo faz arder a garganta”, relata uma menina da Mongólia.  Com informações do Euronews  Homem carrega criança nas costas em Xangai, China, em foto do final de dezembro de 2013. Os dois usam máscaras por conta da forte nuvem de poluição na cidade  - Foto: ChinaFotoPress via Getty Images
Poluição atmosférica provoca morte de 600 mil crianças por ano Aproximadamente dois mil milhões de crianças vivem em zonas onde a poluição exterior ultrapassa os valores mínimos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (PMS). Em alguns casos, esses indíces são seis vezes superiores aos mínimos considerados respiráveis. A estimativa é de que 300 milhões de crianças são afetadas por estas condições, conforme estudo da UNICEF. O documento aponta ainda que a poluição do ar é responsável anualmente pela morte de 600 mil crianças com menos de cinco anos. A Ásia Meridional regiatra o maior número de crianças submetidas a um ar fortemente poluído – 620 milhões; seguida da África com 520 milhões e da Ásia oriental e Pacífico, com 450 milhões. “Quando vou para a escola de manhã , há sempre muito fumo. Muitas vezes, quando atravesso a estrada, nem consigo ver se o semáforo está verde ou vermelho. O fumo faz arder a garganta”, relata uma menina da Mongólia. Com informações do Euronews Homem carrega criança nas costas em Xangai, China, em foto do final de dezembro de 2013. Os dois usam máscaras por conta da forte nuvem de poluição na cidade - Foto: ChinaFotoPress via Getty Images

Aproximadamente dois mil milhões de crianças vivem em zonas onde a poluição exterior ultrapassa os valores mínimos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (PMS). Em alguns casos, esses níveis são seis vezes superiores aos mínimos considerados respiráveis. A estimativa é de que  300 milhões de crianças são afetadas por estas condições, conforme estudo da UNICEF. O documento aponta ainda que a poluição do ar é responsável anualmente pela morte de 600 mil crianças com menos de cinco anos.

continua após publicidade

A Ásia Meridional registra o maior número de crianças submetidas a um ar fortemente poluído – 620 milhões; seguida da África com 520 milhões e da Ásia oriental e Pacífico, com 450 milhões.

“Quando vou para a escola de manhã , há sempre muito fumo. Muitas vezes, quando atravesso a estrada, nem consigo ver se o semáforo está verde ou vermelho. O fumo faz arder a garganta”, relata uma menina da Mongólia.

continua após publicidade

Com informações do portal Euronews