Cotidiano

Corridas de drones viram "febre" no Estados Unidos e são nova aposta do canal ESPN

Da Redação ·
​A liga contará com 17 pilotos profissionais e todos utilizarão o drone DRL Racer 2 - Foto: Richard Perry/The New York Times
​A liga contará com 17 pilotos profissionais e todos utilizarão o drone DRL Racer 2 - Foto: Richard Perry/The New York Times

A drone racing seria classificada até pouco tempo como um “esporte futurista”. Mas hoje já se tornou realidade e a cada dia ganha mais adeptos no mundo todo. A modalidade esportiva virou febre nos Estados Unidos e é a mais nova aposta do canal ESPN para alavancar ainda mais a audiência.

continua após publicidade

O Drone Racing League anunciou nesta quarta-feira que assinou acordos para transmitir uma temporada de 10 episódios na ESPN e ESPN2, junto com os canais europeus Sky Sports Mix e 7Sports.  A programação começa com uma competição agendada para 23 de outubro, com transmissão dos eventos na quinta-feira e sábado noites. 

A ESPN vai mostrar ainda as disputas finais, incluindo o campeonato de duas horas em 20 de novembro Com percursos cheio de obstáculos e com drones atingindo a velocidades de até 80 milhas por hora, câmeras montadas sobre os objetos voadores possibilitam aos pilotos em terra uma visão do cockpit-like, comandados com joysticks semelhantes ao que você encontraria em um controlador Xbox. E haja adrenalina!

continua após publicidade

"É uma experiência emocionante, na vida real misturado com a dinâmica de vídeo-gamelike", afirma Nicholas Horbaczewski, presidente-executivo e fundador da liga.

17 PILOTOS PROFISSIONAIS
A liga contará com 17 pilotos profissionais e todos utilizarão o drone DRL Racer 2, produzido pela própria liga para que as condições sejam as mesmas entre os competidores. Esses drones, que chegam a mais de 80 mph (por volta de 128 km/h), são feitos a partir de fibra de carbono e possuem luzes LED para serem mais bem identificados durante as provas.

PRÊMIO DE US$ 900 MIL PARA GAROTO DE 15 ANOS
Um jovem britânico de apenas 15 anos conseguiu nada menos do que 250 mil dólares após ganhar o primeiro lugar no World Drone Prix, uma corrida ao ar livre que coloca esses veículos para disputar em uma “pista de obstáculos”.

continua após publicidade

Nessa competição, os pilotos e suas equipes têm um objetivo simples, em teoria: como o vídeo acima mostra bem, cada drone deve fazer uma série de voltas pela pista enquanto passa por cada aro disposto no caminho. 

O torneio, que ocorreu em Dubai, reuniu mais de 150 times de todas as partes do mundo, sendo considerado um dos maiores eventos do gênero – e não é à toa, já que os prêmios acumulam um total de um milhão de dólares.

O prêmio ficou para o britânico Luke Bannister e seu time, o Tornado X-Blades Banni-UK, que saiu do torneio com quase 900 mil reais após a vitória. Confira o vídeo do drone vencedor nas finais da competição


As informações são do New York Times