Cotidiano

Pinguim é condecorado como brigadeiro na Noruega

Da Redação ·
Pinguim já recebeu os títulos de Mascote, Soldado, Sargento, Sargento-Maior de Regimento, Sargento-Maior Honorário de Regimento e Coronel  - Foto: Ed Jones/AFP/br.sputniknews.com
Pinguim já recebeu os títulos de Mascote, Soldado, Sargento, Sargento-Maior de Regimento, Sargento-Maior Honorário de Regimento e Coronel - Foto: Ed Jones/AFP/br.sputniknews.com

A Guarda Real da Noruega concedeu honraria inusitada a uma ave. O pinguim Sir Nils Olav passou a ser, na tarde da segunda-feira (22), brigadeiro honorário da Aeronáutica do País. Mais de 50 soldados da unidade de honra do país nórdico assistiram a solenidade no Zoológico de Edimburgo, Escócia, onde mora o pinguim real.

continua após publicidade

Nils Olav já havia recebido o título de cavaleiro (Sir) em 2008. Segundo o jornal britânico The Guardian, a cerimônia teve a participação de 30 membros da Guarda Real norueguesa, discursos e comemorações em homenagem ao pássaro. O título foi concedido pelo rei da Noruega, Harald V.

O pinguim já recebeu os títulos de Mascote, Soldado, Sargento, Sargento-Maior de Regimento, Sargento-Maior Honorário de Regimento e Coronel. A principal função do Brigadeiro Sir Nils Olav é a de revistar a Guarda Real da Noruega quando membros desta unidade militar do reino escandinavo chegaram à Escócia.

continua após publicidade

A história do pinguim começou no ano de 1972 quando o tenente norueguês Nils Egelien, apaixonado pela natureza selvagem, teve a ideia de ter um pinguim real como mascote e membro honorário do regimento. O tenente deu o seu nome ao animal, já o segundo nome do mesmo, conforme informa o jornal Verdens Gang, foi designado pelo rei da Noruega Olav V.

TERCEIRO NA DINASTIA
Mas o Brigadeiro Sir Nils Olav não é aquele Nils Olav trazido pelo jovem militar, há quarenta anos. É o terceiro na dinastia, cujos machos não mudam nem de nome, nem de função. Só recebem novos títulos. A assessoria do zoológico o denomina de "pinguim mais conhecido do mundo".

Com informações do br.sputniknews.com