Cotidiano

Um dia após ser lançado no Brasil, Pokemon GO gera controvérsia em Curitiba

Da Redação ·
O servidor para o game Pokemon Go no Brasil e no restante da América Latina foi finalmente posto em funcionamento no País.
O servidor para o game Pokemon Go no Brasil e no restante da América Latina foi finalmente posto em funcionamento no País.

A "febre" do Pokemon Go tem provocado situações inusitadas em Curitiba e região metropolitana. Três jogadores supostamente sofreram acidentes na Capital do Paraná quando tentavam pegar Pokemons, conforme relato de testemunhas. Alguns internautas, no entanto, questionam a veracidade da informação. 

continua após publicidade

Ao ficar extasiada com a caça, uma adolescente se arriscou perto do barranco do Rio belém quando escorregou e foi parar dentro do canal.  Em outra situação, um jogador de Curitiba caiu no lago do Parque Barigui enquanto tentava capturar mais um Pokémon para a coleção. Transeuntes que estavam próximos ao local onde o fato aconteceu socorreram rapidamente o jogador e conseguiram resgatá-lo da água. Os três jogadores paranaenses de Pokemon passam bem

EM FUNCIONAMENTO
O servidor para o game Pokemon GO no Brasil e no restante da América Latina foi finalmente posto em funcionamento no País, após semanas de suspense e agonia. O aplicativo, que fez as ações da Nintendo terem a maior alta dos últimos 33 anos, finalmente foi liberado para download no Android e iOS e permite aos jogadores capturar os monstrinhos do tradicional desenho japonês em situações reais do dia a dia. 

continua após publicidade

O usuário, ao ser avisado sobre a presença de um desses personagens nas redondezas, deve correr para pegá-lo utilizando o seu smartphone e suas pokebolas imaginárias, em fusão do mundo virtual com o real.

CONTROVÉRSIAS E RETIFICAÇÃO
A "febre" envolvendo o Pokemon GO já tem gerado controvérsia na Capital do Paraná. Alguns internautas afirmam que as situações registradas em Curitiba seriam hoax, informações inverídicas, mas outros relatam ter testemunhado os incidentes. 

O Corpo de Bombeiros, em contato telefônico com o TNOnline, retificou informação, afirmando que não tem registro oficial relacionados ao jogo e que qualquer citação nesse sentido é inverídica, mas não descarta a possibilidade de ocorrências futuras de acidentes dessa natureza e recomenda cautela e atenção ao jogadores para evitar possíveis casos assim.

continua após publicidade

NO EXTERIOR
Se por um lado o jogo Pokemon GO se torna um sucesso e o número de utilizadores não para de aumentar, por outro, multiplicam-se os acidentes ocorridos enquanto as pessoas jogam.

Na quarta-feira (3), um jovem morreu enquanto jogava Pokémon GO na Guatemala (América Central). Foi a primeira morte associada ao jogo. No entanto, vários incidentes foram registrados, dos mais caricatos aos mais comuns, desde que o jogo foi lançado oficialmente no exterior, há apenas duas semanas.

Na Califórnia (EUA), dois homens caíram de uma falésia em Encinitas, enquanto jogavam, na semana passada. Foi uma queda de cerca de 25 metros, conforme o San Diego Union Tribune, mas os homens sofreram apenas algumas lesões e sobreviveram.

continua após publicidade

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A equipe do site TNOnline esclarece que a informação sobre incidente relacionado ao aplicativo “Pokémon GO”, lançado na última semana no Brasil, chegou por mensagens de WhatsApp.

Como é de praxe na conduta jornalística do TNOnline a total transparência, o site foi em busca de mais informações com outras fontes. Em contato com o Corpo de Bombeiros de Curitiba, foi afirmado a equipe do site que não existia ate o momento nenhum registro oficial relacionado ao jogo. No entanto, o Corpo de Bombeiros não descartou a possibilidade do que aconteceu ser verdade. E ainda ressaltou, que não iria dar mais detalhes, por não querer envolver a corporação com o jogo recém lançado no Brasil.

O Corpo de Bombeiros disse que iria enviar uma nota de esclarecimento na manhã de hoje (04), que até o início da tarde não foi recebida pela redação do site. Além disso, os integrantes não quiseram dar entrevista sobre o assunto com a equipe do TNOnline.