Cotidiano

Suposto integrante de quadrilha especializada em assaltos a ônibus é preso no PR

Da Redação ·
Rapaz de 24 anos é suspeito de integrar uma quadrilha de assaltantes a ônibus - Foto: Polícia Civil
Rapaz de 24 anos é suspeito de integrar uma quadrilha de assaltantes a ônibus - Foto: Polícia Civil

A Polícia Cvil divulgou nesta sexta-feira (15/07) a prisão de um rapaz de 24 anos suspeito de integrar uma quadrilha de assaltantes a ônibus que praticou vários crimes na PR 444, no paraná. O suspeito foi preso em uma casa no município de Sarandi, na  De acordo com a polícia, o suspeito estava foragido desde o dia 27 de junho, dia em que realizou uma tentativa de assalto a um ônibus que estava indo para Foz do Iguaçu. 

continua após publicidade

Durante a ação dos assaltantes que ocorreu nas proximidades do Distrito de Caixa de São Pedro, em Apucarana, houve troca de tiros com um passageiro que era policial militar.Durante o confronto, o suspeito levou dois tiros no ombro e fugiu do local. Seu comparsa de 21 anos, foi encontrado morto às margens da BR 444.Durante as investigações os policiais civis chegaram até uma residência em Sarandi, onde o suspeito baleado afirmou que estava recebendo cuidados de uma auxiliar de enfermagem. 

A polícia não localizou a profissional que responderá por favorecimento pessoal.Na delegacia, após o depoimento do suspeito, três homens foram identificados como integrantes da quadrilha. Para o delegado da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Maringá, Laércio Cardoso Fahur, desde que a equipe especializada iniciou os trabalhos na região, os resultados registrados sobre assaltos à ônibus diminuíram. “O número de roubos diminuiu muito nos últimos oito meses, resultado do ótimo trabalho da equipe policial da delegacia”, disse Fahur.

continua após publicidade

O suspeito já tinha sido preso em 2013 pelos crimes de roubo agravado e associação criminosa. Ele está recluso na carceragem da 9ª Subdivisão Policial de Maringá, onde está à disposição da Justiça. Ele responderá pelos mesmos crimes de 2013, podendo pegar de 6 à 15 anos de prisão. As investigações continuam afim de prender os demais integrantes da quadrilha.