Cotidiano

Policiais do Paraná tem acesso a bancos de fotos de criminosos

Da Redação ·
Imagem ilustrativa, que demonstra o funcionamento do programa (Foto: Divulgação/SESP)
Imagem ilustrativa, que demonstra o funcionamento do programa (Foto: Divulgação/SESP)

Para auxiliar os policiais paranaenses e facilitar a captura de criminosos, em especial os reincidentes, foi lançado um banco de imagens comparativo, cujos dados incluem quase 80 mil fotos de pessoas com ficha policial ou no Departamento de Execução Penal (Depen) do Paraná. 

continua após publicidade

O programa foi desenvolvido por uma empresa curitibana e é utilizado desde janeiro deste ano. O projeto atende a Divisão de Crimes Contra o Patrimônio e suas subdivisões. O processo de identificação é minucioso e demorado. Para montar um perfil, leva-se de duas até quatro horas. De acordo  com o investigador, Fábio Belem, a área mais importante para a identificação é o triângulo formado por olhos, boca e nariz. 

A investigadora Daiane Zanon Griesbach conta que, em geral, as vítimas guardam vários detalhes do rosto de criminosos. Devido ao aumento da tensão, mais sangue flui pelo cérebro, com isso as pessoas conseguem memorizar pormenores dos rostos dos bandidos.