Cotidiano

Polícia prende integrante de quadrilha especializada em fraudes eletrônicas

Da Redação ·
No mesmo dia da prisão a quadrilha realizou um empréstimo fraudulento no valor de R$ 250 mil - Foto: Polícia Civil
No mesmo dia da prisão a quadrilha realizou um empréstimo fraudulento no valor de R$ 250 mil - Foto: Polícia Civil

Polícia prende homem envolvido em fraudes eletrônicas Um homem suspeito de cometer fraude eletrônica, foi preso em flagrante no final da tarde da última quarta-feira (1º), por policiais civis da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba. Willian Carlos Santos Ferreira, 25 anos, estava sacando a quantia de R$ 50 mil quando foi surpreendido pela polícia em um agência bancária situada no município de Quatro Barras, Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

continua após publicidade

Segundo investigações, Ferreira é suspeito de integrar uma quadrilha que cometia fraudes eletrônicas onde os suspeitos faziam empréstimos em nome de empresas de outros estados, para posteriormente transferir o valor para seis contas diferentes.Investigações apuraram também que no período da manhã - no mesmo dia da prisão do suspeito - um empréstimo fraudulento foi realizado via internet em nome de uma empresa de peças de motocicletas do Estado do Rio de Janeiro (RJ), no valor de R$ 250 mil. 

“Com a liberação deste valor, os hackers transferiram a quantia para seis contas bancárias, sendo que umas delas, era a conta de Willian”, disse o delegado-titular da DFR, Matheus Laiola.

continua após publicidade

Após uma investigação minuciosa, a Polícia Civil conseguiu identificar a fraude e prender Ferreira em flagrante. O suspeito foi localizado pela polícia dentro de uma agência bancária na cidade de Quatro Barras no momento em sacava o valor de R$ 50 mil em dinheiro. Questionado sobre o valor, Ferreira disse a polícia que o dinheiro que tinha acabado de sacar, era para a construção de um barracão, mas a equipe de investigação já sabia que a operação financeira era fraudulenta. 

Depois de sua prisão, o homem disse aos policiais que ficaria com R$ 10 mil e o restante entregaria e uma outra pessoa.A DFR  solicitará o apoio da Delegacia de Crimes de Internet (Cibercrimes) para saber como foi feita essa fraude. 

“Agora vamos trabalhar para identificarmos quem são os outros integrantes desta quadrilha especializada em fraude bancária e colocá-los atrás das grades”, finalizou Laiola. O suspeito foi autuado em flagrante pelo crime de furto qualificado mediante fraude. Se condenado poderá pegar até oito anos de prisão.