Cotidiano

Cliente quebra produto após loja recusar troca; veja vídeo

Da Redação ·
Cliente quebra produto supostamente defeituoso alegando que loja recusou troca - Imagem - Reprodução/Facebook
Cliente quebra produto supostamente defeituoso alegando que loja recusou troca - Imagem - Reprodução/Facebook

Um vídeo postado no Facebook sobre situação de impasse entre um consumidor indignado com um produto adquirido à vista e que, segundo ele, não funcionava a contento, e uma loja de departamentos que, conforme o consumidor, teria se recusado fazer a troca do mesmo viralizou na internet. O comerciante José Nery Fonseca, residente em Pirapozinho, na região de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, relata que comprou um grill na loja Havan de Presidente Prudente, mas conforme o paulista, a mercadoria estava com defeito. 

continua após publicidade

“Tentei fazer a troca argumentando sobre meus direitos como consumidor, mas uma funcionária da Havan disse que não poderia trocar o grill naquele momento, alegando seguir normas internas da empresa. Me senti desrespeitado na relação de consumo e decidi quebrar o grill dentro da loja para demonstrar minha indignação com a postura da empresa”, explicou José Nery.

O vídeo do momento em que Nery quebra o produto supostamente defeituoso foi postado na página do comerciante no Facebook (clique aqui e veja o post) e alcançou rapidamente milhares de compartilhamentos. Muitos internautas manifestaram apoio à atitude do consumidor através de comentários na rede social.

Já a Havan, com 93 lojas espalhadas pelo Brasil, esclarece em seu site que, se necessário, providencia reparos técnicos nos produtos com defeitos, em locais credenciados e especializados, desde que sejam adotados alguns procedimentos burocráticos. 

continua após publicidade

VERSÃO DA HAVAN
Após contatada via e-mail, a assessoria jurídica da Havan informou em relação ao caso que "a equipe de atendimento seguiu todos os procedimentos conforme o Código de Defesa do Consumidor". 

A nota divulgada pelos representantes Havan diz ainda que "como já se passaram quase três meses desde a compra, a empresa se colocou à disposição para encaminhar o cliente à assistência técnica para que fosse providenciado o reparo do aparelho, conforme a legislação. Ocorre que o cliente não aceitou este procedimento e passou a exigir a troca do produto ou a devolução do valor, o que não tem amparo legal." 

A assessoria jurídica informa ainda que "tomará as providências legais devidas no caso, "visto que a atitude explosiva e agressiva deste cidadão colocou em risco a integridade física de colaboradores e clientes presentes no local no momento de seu descontrole".