Cotidiano

Justiça determina reintegração em colégio de Maringá 

Da Redação ·
Concentração de estudantes em Maringá - Foto: Divulgação
Concentração de estudantes em Maringá - Foto: Divulgação

A Justiça do Paraná confirmou que ordenou, na quarta-feira (25), a reintegração de posse do Colégio Estadual José Gerardo Braga, ocupado por estudantes há mais de uma semana, em Maringá, no norte do Estado. Decisão judicial ocorreu após solicitação apresentada pela Procuradoria-Geral do Estado do Paraná.

De acordo com a determinação, os alunos que estão no estabelecimento de ensino público têm 24 horas para sair do local por própria iniciativa a partir de notificação. Caso isso não ocorra, a Justiça autorizou o emprego de "força policial moderada" para retirar os manifestantes. 

Na manhã da quarta-feira (25), a Secretaria de Estado da Educação (Seed) divulgou, por meio de nota, que não solicitaria a reintegração de posse, afirmando "que o amplo diálogo com os líderes do movimento é o caminho para atingir a resolução desejada". O pedido, no entanto, foi apresentado pelo governo junto ao Judiciário. Em relação à controvérsia, a Seed explicou que pode ter acontecido um erro de comunicação e frisou que a Procuradoria trabalha de maneira independente para defender os interesses do estado.

OUTRAS OCUPAÇÕES

Os colégios estaduais Tancredo Neves e Adaile Maria Leite, também em Maringá, permanecem ocupados nesta quinta-feira (26). Depois de decisão em assembleia, os dois estabelecimentos de ensino público foram ocupados por alunos na quarta-feira (25).

continua após publicidade


Os manifestantes reivindicam a entrega de obras nos colégios prometidas pelo governo, de acordo com eles, melhoria na qualidade da merenda e abertura de uma Comissão Processante Parlamentar (CPI) para investigar supostos desvios de verbas nas escolas. A manifestação é pacífica. Os três colégios ocupados em Maringá terão que repor as aulas perdidas em decorrência das ocupações.

SINDICÂNCIAS
A Seed informou que determinou a abertura de sindicâncias para apurar a situação nos colégios ocupados de Maringá. Ainda conforme a Seed, a Patrulha Escolar acompanha a ocupação dos estudantes desde o início da manifestação.


VERBAS
A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) anunciou nesta semana a liberação de uma verba de R$ 38 milhões para o reforço das merendas. Os parlamentares prometeram ainda a liberação da segunda remessa do Fundo Rotativo para auxiliar na aquisição de merenda para os colégios.