Cotidiano

​Detran-PR faz campanha contra a agressividade no trânsito 

Da Redação ·
A agressividade ao volante, que ás vezes resulta até em homicídios, é tema de uma campanha no Paraná chamada “31 Dias para mudar o trânsito” - Foto: Juliano Pedrozo/Detran
A agressividade ao volante, que ás vezes resulta até em homicídios, é tema de uma campanha no Paraná chamada “31 Dias para mudar o trânsito” - Foto: Juliano Pedrozo/Detran

A agressividade ao volante, que ás vezes resulta até em homicídios, é tema de uma campanha chamada “31 Dias para mudar o trânsito”, patrocinada pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran), dentro das atividades do Maio Amarelo, que tem sequência nesta segunda-feira (9). As ações incluem divulgação de vídeos institucionais, palestras educativas e outras atividades.  

O tema também é explorado com matérias, infográficos, peças em sites e redes sociais. Conforme a psicóloga Marina Pires Alves Machado, o trânsito por si é muito estressante e com sons altos e frequentes, o estresse é inevitavelmente potencializado.

“A buzina pode ser percebida como um “grito” ou como “escrever uma mensagem em caixa alta” para alguém. É entendida como ofensa pelo motorista que a recebe e pode provocar um comportamento agressivo ao ser entendida como se fosse um xingamento. Por esse motivo instiga a violência, a agressividade, aumenta o estresse e a irritabilidade”, afirma a psicóloga.

CÓDIGO DE TRÂNSITO
O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) recomenda que a buzina nos veículos seja utilizada apenas em casos de advertências: para evitar acidentes ou indicar ao condutor a intenção de ultrapassá-los. O uso inadequado, fora das situações previstas em lei, de forma prolongada e sucessivamente, em locais e horários proibidos por sinalização e entre as 20h e 06h, é considerada infração leve, com 3 pontos na CNH e multa de R$53,20.

continua após publicidade