Cotidiano

PF ouve policiais militares envolvidos em suposto confronto com sem terra no Paraná

Da Redação ·
Entrada de fazenda da Madeireira Araupel, em Quedas do Iguaçu: morte de dois sem terra é investigada pela PF - Foto: Arquivo
Entrada de fazenda da Madeireira Araupel, em Quedas do Iguaçu: morte de dois sem terra é investigada pela PF - Foto: Arquivo

Policiais militares envolvidos em suposto confronto com integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foram ouvidos nesta quarta-feira (4) na Delegacia Polícia Federal (PF) de Cascavel, no oeste do Paraná. Os depoimentos foram anexados em inquérito que investiga o confronto entre PMs e integrantes do MST, registrado no dia 07 de abril, em fazenda da Madeireira Araupel, em Quedas do Iguaçu. Na ocasião, dois sem terra morreram.

A PF se limitou a relatar que os PMs estão radicados no destacamento da Polícia Ambiental, mas não repassou detalhes do teor dos depoimentos. As investigações relativas ao caso ainda têm sequência.A investigação da PF foi determinada pelo Ministério da Justiça, com o objetivo de garantir imparcialidade sobre a apuração do situação. 

Vilmar Bordin, 44 anos e Leonir Horbach, 25, morreram após serem feridos por tiros, em um suposto confronto, no interior da área invadida da madeireira Araupel, em Quedas do Iguaçu. Após o fato, vários protestos foram realizados pelos sem terra no Paraná.

VERSÕES
A PM do Paraná alega que os policiais teriam sido atacados pelos sem terra. Já o MST afirma que os dois membros do movimento foram mortos em suposta "tocaia".

continua após publicidade