Cotidiano

Depois de suposta abordagem policial em Curitiba, mãe de dois filhos especiais fica cega

Da Redação ·
Os manifestantes portavam faixas e uma delas estava escrito: “Sangue inocente clama por justiça” - Foto: Flávia Barros – Banda B
Os manifestantes portavam faixas e uma delas estava escrito: “Sangue inocente clama por justiça” - Foto: Flávia Barros – Banda B

Uma manifestação popular foi realizada ontem (6) à tarde por pessoas que residem no bairro Ganchinho, em Curitiba, para exigir justiça em relação a uma situação que os participantes do protesto avaliaram como suposto abuso de autoridade por parte da Polícia Militar (PM). Uma mulher ficou cega do olho esquerda após ser atingida por um projétil de borracha disparado pela PM durante abordagem de suspeitos. Os manifestantes portavam faixas e uma delas estava escrito: “Sangue inocente clama por justiça”.

De acordo com os populares, no último sábado (2), a diarista Angelita Aparecida Rocha, de 49 anos e mãe de dois filhos especiais, residente na região onde protesto aconteceu, ficou cega de um olho após ser ferida por tiro de borracha que teria sido disparado durante uma abordagem da PM. A mulher foi socorrida e levada ao Hospital Cajuru, onde continua internada. Angelita ficou cega do olho atingido pela bala de borracha.  

continua após publicidade

Angelita Aparecida Rocha, de 49 anos, ficou cega do olho esquerdo e está internada no Hospital Cajuru, em Curitiba (Foto: Arquivo pessoal)

Novos protestos
Os manifestantes não descartam a possibilidade de realizar protesto mais contundente caso nada seja feito.  O 13° BPM adiantou que vai instaurar inquérito policial militar para apurar se aconteceu algum excesso por partes dos policiais militares que fizeram a abordagem. Na oportunidade, um adulto foi preso e um menor acabou apreendido no local após algo suspeito ser jogado no chão. Conforme a PM, a região onde o fato aconteceu já foi alvo de denúncias dando conta sobre supostas ocorrências frequentes tráfico de drogas.