Cotidiano

Mutuários aguardam há 2 anos entrega de conjunto habitacional em Jandaia do Sul

Da Redação ·
Atraso na entrega de 247 casas vinculadas ao programa Minha Casa, Minha Vida em Jandaia do Sul tem revoltado os futuros moradores - Foto: Tribuna do Norte
Atraso na entrega de 247 casas vinculadas ao programa Minha Casa, Minha Vida em Jandaia do Sul tem revoltado os futuros moradores - Foto: Tribuna do Norte

O atraso na entrega de 247 casas vinculadas ao programa Minha Casa, Minha Vida em Jandaia do Sul tem revoltado os futuros moradores. Segundo eles, a demora já chega há dois anos e seria causada por problemas nas construções, de responsabilidade da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), que confirma a situação, mas promete solução para o impasse no mês que vem.

A vendedora Sandra Silva Galvão explica que a situação está difícil para todos. “No meu caso, está sendo muito difícil pois estou morando de favor junto aos meus três filhos”. O montador industrial Tiago Aparecido da Silva concorda. “A casa própria, que era um sonho, acabou se tornando um pesadelo. Não sabemos o que está acontecendo. Eles não nos falam nada”, diz.

O residencial fica localizado na beira da BR-376. O atleta e professor Adenilson de Oliveira Vicente afirma que não é apenas o atraso que incomoda. “A construção tem vários problemas. A casa foi construída no meio do terreno e, por isso, fico impossibilitado de construir uma garagem tanto dos lados quanto na frente do imóvel. Alguns terrenos não têm nem a área de 200 m², prevista em contrato.

O tamanho de desses terrenos é bem menor do que o estabelecido”, ressalta, destacando que apesar de quase dois anos, o bairro ainda não tem acesso seguro para rodovia. Alguns moradores fizeram uma espécie de assembleia na tarde de anteontem no conjunto. A intenção era conversar e buscar soluções para o problema.

De acordo com a assessoria de imprensa da Cohapar, em Curitiba, a demora foi causada pela constatação de irregularidades nos projetos pelo Ministério Público de Jandaia do Sul. A assessoria não soube informar quais seriam essas irregularidades, mas afirmou que a companhia está realizando os reparos o mais rápido possível. A previsão é de que a obra seja entregue no início de abril.


Associação foi acionada na Justiça


A associação dos moradores, criada logo no início das obras, poderá arcar ainda com outro prejuízo. Isso acontece porque 32 ex-funcionários da obra entraram na Justiça cobrando pagamentos que não teriam sido feitos. Segundo os moradores, os trabalhadores foram contratados através da associação.

“A Cohapar contratou esses funcionários em nome da associação, ou seja, é como se eles fossem funcionários nossos. Mas na verdade, a responsabilidade é da Cohapar, que é quem recebe as verbas do Minha Casa, Minha Vida. Em resumo, a obra foi mal administrada, com recursos aplicados de maneira equivocada e prazos não sendo cumpridos sucessivamente”, diz Edilaine Cerutti Borges, técnica de laboratório e presidente da associação de moradores. Um advogado foi contratado através do apoio de um vereador da cidade para defender a associação.

continua após publicidade