Cotidiano

Padre de PG vai desmontar avião após realizar sonho

.

Albino Dziadzio diz que protótipo surgiu de um sonho de criança e de um propósito de fé - Foto: aRede.info/Jornal da Manhã
Albino Dziadzio diz que protótipo surgiu de um sonho de criança e de um propósito de fé - Foto: aRede.info/Jornal da Manhã

Entre o primeiro pronunciamento do Padre Albino Dziadzio sobre o projeto de construção de um avião e o encontro com a imprensa realizado na manhã de ontem em Ponta Grossa, na na Igreja Nossa Senhora do Monte Claro, no núcleo Santa Maria, foram longos 20 anos.

Foi neste período que o sonho de infância e a prova de fé literalmente ganharam asas através do protótipo batizado de Borboleta Branca II. “Fiz o avião por dois motivos: o esportivo que era pra realizar o sonho infantil de voar e o segundo, mais importante, que foi pela Fé”, disse.

Apesar de ser totalmente autoral, o projeto possui itens comuns aos de aeronaves em operação. Entre eles estão flaps funcionais, asas com aerofólios para garantir aerodinâmica e sustentação durante os voos e um painel de instrumentos que incluem dois velocímetros, barômetro e até um botão que aciona um compartimento de resfriamento de emergência do motor, quase tudo feito por ele mesmo.

“Foram mais de cinco mil horas de ferramentas na mão, tirando a pintura automotiva e a parte elétrica. Dediquei boa parte de meu tempo de descanso da atividade sacerdotal a este projeto”, destacou. O religioso garante que o avião está pronto para voar, cita até um teste de solo que chegou a ser realizado com relativo sucesso.

Porém, Dziadzio descarta levantar voo completo com o Borboleta Branca II. “Sinceramente não penso mais em voar com ele, mas a mensagem de fé que eu desejava transmitir com a construção já foi cumprida graças a toda essa atenção da mídia”, explica. Entre as curiosidades do avião criado está o fato de ter sido todo feito com alumínio de bobina; usar motor de Santana Quantum 2.0; e ter o modelo das asas com cursas aerodinâmicas incorporado após um amigo piloto do padre rejeitar as asas retas propostas inicialmente.

AERÓDROMO
Mudança de status interferiu no projeto


Nesta quinta-feira, o pároco deve iniciar o desmonte temporário do protótipo. Ele ficará guardado por até um ano, período em que o religioso aviador espera voltar a ter condições de manter as asas do sonho abertas. “A situação de nosso aeródromo de Ponta Grossa mudou, subiu de status para aeródromo comercial com operação IFR. E essas alterações são muito grandes e caras para um homem simples como eu”, finaliza.


Fonte:aRede.info/Jornal da Manhã