Cotidiano

STF nega habeas corpus para o ex-deputado Carli Filho

Da Redação ·
Julgamento do ex-deputado Luiz Fernando Carli Filho, que após 6 anos teve a data do júri popular marcada, pode se transformar em uma espécie de “show midiático", conforme jornalista - Foto: www.redesuldenoticias.com.br
Julgamento do ex-deputado Luiz Fernando Carli Filho, que após 6 anos teve a data do júri popular marcada, pode se transformar em uma espécie de “show midiático", conforme jornalista - Foto: www.redesuldenoticias.com.br

O Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, negou seguimento ao “habeas corpus” impetrado pela defesa do ex-deputado estadual do Paraná Fernando Ribas Carli Filho e confirmou julgamento pelo júri marcado para os próximos dias 21 e 22 de janeiro. O site do STF publicou a decisão por volta das 21h00 de quinta-feira.

Carli Filho é acusado de matar os jovens Gilmar Yared e Carlos Murilo de Almeida,em um acidente de carro em Curitiba, em maio de 2009. A mãe de Gilmar Yared, Christiane Yared, informou que deve passar detalhes sobre a decisão do STF na manhã desta sexta-feira (11).

SORTEIO DE JURADOS - No total, 44 pessoas foram sorteadas pela Segunda Vara do Tribunal do Júri de Curitiba para participar do julgamento. A escolha, feita por meio eletrônico, no dia 30 de novembro, durou cerca de 10 minutos. Foram sorteados 25 jurados e 19 suplentes. Deste número, sete serão sorteadas no dia do julgamento para compor o conselho de sentença, segundo o tribunal. O ex-deputado estadual é acusado de duplo homicídio com dolo eventual, ou seja, quando se assume o risco de matar. Caso seja condenado, a pena pode chegar a 20 anos de prisão. Nos dois dias de julgamento, serão ouvidas seis testemunhas de defesa e outras seis de acusação.

continua após publicidade