Brasil

Médicos de Bolsonaro descartam necessidade de nova cirurgia

Presidente reagiu bem aos medicamentos e especialistas avaliaram não ser necessário realizar procedimento

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Médicos de Bolsonaro descartam necessidade de nova cirurgia
fonte: Reprodução

Os médicos que acompanham o presidente Jair Bolsonaro descartaram a necessidade de o presidente passar por uma nova cirurgia por conta da obstrução no intestino.

continua após publicidade

A informação foi divulgada na manhã desta terça-feira (4) em boletim médico do Hospital Vila Nova Star.

"O Hospital Vila Nova Star informa que o quadro de suboclusão intestinal do Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, se desfez, não havendo indicação cirúrgica. A evolução do paciente clínica e laboratorialmente segue satisfatória e será iniciada hoje uma dieta líquida. Ainda não há previsão de alta".

continua após publicidade

O boletim é assinado pelos médicos Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo, Leandro Echenique, Ricardo Camarinha, Antônio Antonietto e Pedro Loretti.

Bolsonaro foi avaliado nesta manhã pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo, que chegou ao hospital por volta das 6h10.

Ele operou o presidente após a facada em setembro de 2018 e acompanha a evolução do caso desde então. O especialista estava nas Bahamas e aguardava um avião para voltar ao Brasil.

continua após publicidade

Na manhã de segunda-feira (3), Macedo havia comentado que, pelo quadro clínico do presidente, não seria o caso de realizar uma nova cirurgia.

Entretanto, em postagem nas redes sociais após ser internado, o próprio presidente relatou sobre a possibilidade de ser submetido ao procedimento.

"Comecei a passar mal após o almoço de domingo. Cheguei ao hospital às 03h00 de hoje. Me colocaram sonda nasogástrica. Mais exames serão feitos para possível cirurgia de obstrução interna na região abdominal", publicou Bolsonaro na rede social.

continua após publicidade

A decisão, entretanto, foi tomada nesta manhã após a avaliação de Macedo.

No boletim anterior, divulgado no final da tarde de segunda (3), o hospital informava que o presidente tinha apresentado "melhora clínica após a passagem da sonda nasogástrica, evoluindo sem febre ou dor abdominal", mas não que ainda havia definição sobre o procedimento.

Bolsonaro estava em férias em Santa Catarina e foi levado para São Paulo na madrugada de segunda (3) com suspeita de nova obstrução intestinal.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News